UAI
Publicidade

Estado de Minas LA PAZ

'Cocaleros' voltam a entrar em confronto com a polícia e queimam viaturas na Bolívia


24/09/2021 17:44

A polícia da Bolívia voltou a enfrentar 'cocaleros' (plantadores de coca) nesta sexta-feira (24) nas ruas de La Paz, onde cinco viaturas foram queimadas em meio a disputas entre camponeses opositores e apoiadores do governo pelo controle de um mercado que vende folhas de coca.

Os confrontos começaram quase ao meio-dia, quando camponeses da oposição tentaram entrar na sede da Associação Departamental dos Produtores de Coca (Adepcoca), tomada na segunda-feira por membros de outro sindicato ligado ao governo de esquerda do presidente Luis Arce, que reivindica sua liderança.

A Adepcoca está localizada no bairro de Villa Fátima, ponto de partida dos vales subandinos de Yungas, onde a coca é cultivada desde antes do Império Inca, que prosperou no século XV.

Lá, a coca é comercializada legalmente para mascar e para fazer infusões e rituais religiosos aimarás, e são concedidas autorizações para sua distribuição.

Centenas de camponeses opositores tentaram chegar ao mercado, utilizando foguetes, pedras, paus e até dinamite, mas o complexo estava sendo guardado pela polícia de choque, que fez um abundante uso de gás lacrimogêneo para dispersá-los.

Durante os incidentes, a sede policial de Villa Fátima, a poucas quadras do mercado, foi atacada pelos camponeses, que queimaram cinco carros da polícia. Dois caminhões de bombeiros foram apagar as chamas.

"São cinco os veículos policiais que foram afetados", disse um dos bombeiros à imprensa, garantindo que não houve registro de feridos.

Após várias horas, os ânimos se acalmaram e a polícia começou a restaurar o trânsito de pessoas e veículos na área. De acordo com imagens da televisão local, a polícia prendeu pelo menos duas pessoas.

Foram registrados na quarta-feira os primeiros incidentes por conta da disputa pelo controle da Adepcoca. Um jornalista foi preso e outro ficou ferido enquanto cobria os acontecimentos.

Na quinta-feira, os distúrbios entre camponeses e policiais se intensificaram, com seis feridos e 33 presos.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade