UAI
Publicidade

Estado de Minas MOSCOU

Putin anuncia que dezenas de pessoas de seu entorno testaram positivo para covid


16/09/2021 09:34 - atualizado 16/09/2021 09:37

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, revelou nesta quinta-feira (16) que dezenas de pessoas de seu entorno testaram positivo para covid-19, obrigando-o a entrar em isolamento desde o início da semana.

Este quadro demonstra os problemas do país para controlar a epidemia.

"Em meu entorno (...) não há um, nem dois, e sim várias dezenas de pessoas que foram diagnosticadas com o coronavírus", afirmou, durante uma reunião por videoconferência da Organização do Tratado de Segurança Coletiva (OTSC), uma aliança militar regional.

"Tive que cancelar no último momento minha visita a Dushanbe, lamento muito", completou.

Entre as pessoas infectadas estão, por exemplo, os seguranças do chefe de Estado, segundo a presidência, O porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, afirmou que outros infectados eram responsáveis por aspectos da "vida diária" de Putin.

Vladimir Putin, 68 anos e vacinado em março com o fármaco russo Sputnik V, declarou que ainda deve permanecer em isolamento por vários dias, devido ao foco sem precedentes desde o início da pandemia em seu círculo próximo.

Na terça-feira, ele revelou que teve de iniciar o isolamento após "contato próximo" com apenas um de seus colaboradores - vacinado, mas que ficou enfermo.

"Espero que tudo aconteça da maneira como deve ocorrer, e que a Sputnik V demonstre realmente seu alto nível de proteção contra a covid-19", disse Putin na ocasião.

Dmitri Peskov afirmou que o funcionamento do Kremlin não foi afetado e que o presidente "trabalha normalmente" em sua residência na região de Moscou.

O porta-voz disse ainda que não sabe de nenhum caso grave e que "praticamente todos" que trabalham com Putin estão vacinados.

O anúncio aconteceu depois que Putin voltou a participar em eventos públicos. Até algumas semanas atrás, a maioria de seus compromissos acontecia por vídeo, e as poucas pessoas que se encontravam presencialmente com ele deveriam passar por um período de isolamento.

Antes de anunciar seu autoconfinamento, Putin recebeu na segunda-feira em Moscou o presidente sírio, Bashar al-Assad, e vários atletas paralímpicos que retornaram de Tóquio.

- Menos de 30% de vacinados -

A presença da covid-19 no entorno do presidente mostra as dificuldades de Moscou para lutar de maneira eficaz contra a epidemia, entre uma vacinação que não avança e o respeito muito aleatório das regras de distanciamento social e de uso de máscara.

A Rússia está entre os países mais afetados pela pandemia do coronavírus em número de mortos e ocupa o quinto lugar entre as nações com mais casos, de acordo com o balanço da AFP.

A agência de estatísticas Rosstat calculou que quase 350.000 russos morreram de covid-19 até o fim de julho.

De acordo com o site Gogov, que compila dados oficiais dos governos regionais, apenas 27,5% dos russos estão completamente vacinados.

Inicialmente, o governo da Rússia, que tem quatro vacinas nacionais, havia estabelecido como meta 60% da população vacinada até setembro.

Após um confinamento rígido em abril e maio de 2020, durante a primeira onda da pandemia, as autoridades russas se negaram a aplicar novas medidas restritivas para preservar a frágil economia do país.

O isolamento de Putin se dá antes das eleições legislativas, que acontecerão em três dias - de sexta-feira a domingo - para limitar os riscos de contágios nos locais de votação.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade