Publicidade

Estado de Minas ABIDJAN

Unesco descarta declarar a reserva natural WAP na África Ocidental como ameaçada de extinção


23/07/2021 14:45

A Unesco descartou nesta sexta-feira (23) incluir o parque natural do Complexo W-Arly Pendjari (WAP), localizado em Benin, Burkina Faso e Níger, na lista de Patrimônios da Humanidade em perigo.

A situação nesta reserva, onde dois jornalistas espanhóis e um irlandês morreram em abril, é muito instável em relação à segurança, mas isso não convenceu a agência da ONU a mudar seu status.

O Comitê do Patrimônio Mundial da Unesco, reunido em Fuzhou (China), seguiu as recomendações da África do Sul, apoiadas por outros países africanos, para evitar a inclusão da reserva na lista de locais em perigo.

Segundo esses países, as autoridades locais adotaram uma série de medidas, como aumento de patrulhas e vigilância, para prevenir ataques e melhorar sua segurança.

"O valor universal excepcional deste bem pode ser afetado se as medidas de segurança atuais não forem eficazes", alertou o comitê da Unesco.

Além disso, a entidade solicitou um relatório atualizado sobre seu estado de conservação aos três países onde esta reserva natural está localizada.

As terras se estendem do leste de Burkina Faso ao norte de Benin, passando pelo sul do Níger.

É uma área com grande ameaça de ataques jihadistas e para onde os governos ocidentais desaconselham viagens.

Dois documentaristas espanhóis e um defensor dos animais irlandês foram mortos em abril durante uma patrulha de proteção na área em uma terra conhecida pela caça ilegal.

Em maio de 2019, dois turistas franceses foram sequestrados em parte de Burkina Faso.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade