Publicidade

Estado de Minas KANDAHAR

Forças afegãs tentam recuperar cidade estratégica dos talibãs


16/07/2021 12:19 - atualizado 16/07/2021 12:26

As forças afegãs tentavam nesta sexta-feira (16) retomar a estratégica localidade de Spin Boldak (sul), perto da fronteira com o Paquistão, que caiu nas mãos dos insurgentes na quarta (14).

Em paralelo, as tropas lutam contra os talibãs nos arredores de Sheberghan, capital da província de Jawzjan, no norte, e reduto do marechal Abdul Rashid Dostom, um temido senhor da guerra antitalibãs.

Em Spin Boldak, o Exército e a polícia "lançaram uma operação conjunta para retomar" a cidade, e "as forças afegãs chegaram ao mercado", disse o porta-voz da polícia da província de Kandahar, Jamal Nasir Barakzai, à AFP.

Um fotógrafo da Reuters, Danish Siddiqui, vencedor do Prêmio Pulitzer, foi morto nesta sexta por tiros disparados por talibãs enquanto cobria o conflito em Spin Boldak, informou a agência de notícias.

Vários moradores ouvidos pela AFP relataram intensos combates em andamento.

"As forças afegãs entraram no mercado (...) e os talibãs se retiraram. No momento, há uma luta intensa", disse um deles, Mohammad Zahir.

De acordo com outro morador, Raz Mohammad, "os talibãs se refugiaram nas casas dos civis, de onde atacaram as forças afegãs quando chegaram". Ele descreveu uma "situação caótica e muito difícil para nós".

Os talibãs tomaram Spin Boldak na quarta-feira, uma cidade localizada na estrada de cerca de 100 quilômetros que liga Kandahar, capital da província e principal cidade do sul do Afeganistão, com a fronteira com o Paquistão.

Eles também assumiram o controle do posto de fronteira localizado a cerca de 30 quilômetros da cidade, um importante ponto de passagem entre o Afeganistão e o Paquistão.

Trata-se de um centro de comércio transfronteiriço, que também conecta o Afeganistão - sem litoral - com a rodovia que leva ao porto paquistanês de Karachi, no Mar Arábico.

Essa passagem leva à província paquistanesa de Baluchistão (sudoeste), que se acredita ser o lar de parte da liderança talibãs na cidade paquistanesa de Quetta. É lá que os insurgentes feridos são tratados.

No lado paquistanês da fronteira, um correspondente da AFP viu um comboio de três veículos transportando oito feridos e um morto, a cerca de 5 km do posto de fronteira paquistanês de Chaman.

Um homem que se identificou como talibã, chamado Mullah Muhammad Hassan, disse que "as forças afegãs atacaram (...) Spin Boldak esta manhã".

"Registramos uma morte, e dezenas dos nossos combatentes ficaram feridos", acrescentou.

- Combates no Norte -

Desde o lançamento de uma ofensiva total contra as forças afegãs no início de maio, quando as forças estrangeiras começaram a se retirar do país, os talibãs conquistaram vastas áreas rurais, especialmente no norte e no oeste do Afeganistão, longe de seus redutos tradicionais no sul.

Tomaram as principais passagens de fronteira com Irã, Turcomenistão e Tadjiquistão, privando as autoridades afegãs de impostos e taxas alfandegárias. As principais cidades estão sem receber suprimentos de países vizinhos.

Uma delegação, que inclui Abdullah Abdullah, chefe do conselho governamental que supervisiona o processo de paz, e o ex-presidente afegão Hamid Karzai, partiu nesta sexta-feira de Cabul para Doha. Lá, eles vão se "reunir com os talibãs", segundo Abdullah, que disse que "ainda há uma oportunidade para a paz, apesar dos combates contínuos".

Em Tashkent, o presidente afegão Ashraf Ghani fez um apelo aos "talibãs para que dialoguem com o governo para acabar com essa guerra" e ao Paquistão, acusado de apoiá-los, "para que use sua influência (...) para a paz" no Afeganistão.

No norte do país, o vice-governador da província de Jawzjan, Qader Malia, disse que as forças do governo estavam lutando contra os talibãs na entrada da capital da província, Sheberghan.

"Os talibãs primeiro tomaram a entrada de Sheberghan (...) mas não entraram na cidade. Ambos os lados estão avançando e recuando. Nenhum dos dois assumiu o controle total dos acessos da cidade", acrescentou.

O porta-voz talibã Zabihullah Mujahid disse à AFP nesta sexta-feira que os insurgentes "chegaram à cidade", garantindo que "as milícias de Dostom fugiram".

Ainda não foi possível verificar a situação no terreno de forma independente.

Abdul Rashid Dostom, de 67 anos, um poderoso líder da etnia uzbeque, é um senhor da guerra muito influente na política afegã, apesar de ser acusado de crimes de guerra, incluindo abandonar 2.000 talibãs para a morte em contêineres em 2001. Ele sempre negou esta acusação.

Conhecido por sua crueldade e por mudar de lado, especialmente durante o conflito contra os ocupantes soviéticos entre 1979 e 1989, ele foi vice-presidente do presidente Ashraf Ghani entre 2014 e 2020 e nomeado um marechal de campo, o posto militar mais alto do Afeganistão, em julho de 2020.

Privadas do crucial apoio aéreo dos Estados Unidos, as forças afegãs têm oferecido pouca resistência aos talibãs e, agora, controlam apenas as grandes estradas e as principais cidades do país, várias delas cercadas.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade