Publicidade

Estado de Minas GENEBRA

ONU denuncia 'repressão inaceitável' em Belarus após ataques


15/07/2021 15:15

A Alta Comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet, denunciou na quinta-feira (15) a repressão e as novas prisões de opositores em Belarus e exigiu a sua liberdade "imediatamente".

"Estou profundamente preocupada com os últimos acontecimentos em Belarus", disse Bachelet em um comunicado, um dia depois de uma série de ataques no país contra pelo menos doze organizações, incluindo grandes grupos de direitos humanos, e a prisão de vários militantes.

Os escritórios de pelo menos seis ONGs foram revistados pela polícia, que também invadiu as instalações de uma associação de jornalistas, partidos e movimentos de oposição, um grupo de pesquisa econômica e uma agência de comunicação.

Tudo isso poucas horas depois de o presidente Alexandre Lukashenko, em reunião na terça-feira com seu homólogo russo Vladimir Putin, ter defendido "levar à justiça" as "ONGs sujas" que, segundo ele, cultivam o "terror" no país.

"Uma repressão deste calibre é totalmente inaceitável", disse Bachelet.

A chilena indicou que "os acontecimentos de quarta-feira revelam mais uma vez o flagrante desrespeito das autoridades bielorrussas pelas suas obrigações para com o direito internacional dos direitos humanos".

"Avisei em várias ocasiões sobre a deterioração da situação em Belarus e apelo mais uma vez ao governo para que ponha fim à sua política de intimidação e perseguição de membros da sociedade civil e da mídia", disse ela.

"Os presos devem ser libertos imediatamente", concluiu.

Há meses, o regime de Lukashenko, no poder desde 1994, perseguiu implacavelmente oponentes, jornalistas e militantes na esperança de sufocar definitivamente o histórico movimento de protesto contra a sua controversa reeleição em 2020.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade