Publicidade

Estado de Minas QUITO

Equador declara estado de exceção devido à variante Delta do coronavírus


14/07/2021 18:48

O Equador declarou nesta quarta-feira (14) estado de exceção por 15 dias nas províncias onde foram detectados casos da variante Delta do coronavírus, para conter sua disseminação.

A medida, que começa a partir das 20h de quarta-feira e vai até 28 de julho, "vai permitir aumentar as garantias de segurança sanitária em atenção aos efeitos reais e potenciais gerados pelas novas variantes", afirmou o Ministério da Comunicação da Presidência em uma declaração.

O estado de exceção no caso da província de El Oro, na fronteira com o Peru, implica um toque de recolher de dez horas entre segunda e quinta-feira, e um toque de recolher de doze horas entre sexta e domingo. A capacidade de todos os estabelecimentos foi reduzida para 25%.

Em El Oro, as autoridades detectaram um caso da subvariante Delta Plus e sete casos da Delta, consideradas mais contagiosas e notificadas originalmente na Índia.

O decreto assinado pelo presidente Guillermo Lasso também proíbe o transporte de El Oro para outras cidades. E suspende as autorizações de funcionamento de instituições de ensino que voltaram às aulas presenciais.

No caso da província de Guayas, a única afetada pelo estado de exceção é a cidade de Guayaquil (sudoeste), que entre abril e maio do ano passado enfrentou o colapso de seus sistemas de saúde e funerário.

Para o porto de Guayaquil, o decreto manda limitar a capacidade para 50% em espaços fechados e 75% em locais ao ar livre. O transporte público circulará com 50% de sua capacidade.

O Equador, onde as variantes Alpha e Gamma também foram detectadas, relatou 10 infectados com a Delta até agora. Cinco deles morreram.

Para impedir o avanço da variante Delta, a nação sul-americana impôs um isolamento de 10 dias aos viajantes da Índia e do Brasil, que também precisam apresentar resultado de PCR negativo.

Com 17,5 milhões de habitantes, o Equador está na terceira fase do plano de vacinação, que cobre pessoas com 16 anos ou mais. De acordo com autoridades de saúde, 1,6 milhão de pessoas foram completamente imunizadas, enquanto outras 2,3 milhões receberam somente a primeira de duas dose das vacinas.

A covid-19 deixa no país mais de 470.800 infecções e 21.832 mortes, entre confirmadas e prováveis, desde o início da pandemia.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade