Publicidade

Estado de Minas WASHINGTON

Comitê irá se encarregar de funeral do presidente haitiano


13/07/2021 19:36

O primeiro-ministro interino do Haiti criou nesta terça-feira um comitê para organizar o funeral nacional do presidente assassinado, Jovenel Moise, enquanto novos avisos de busca de suspeitos foram emitidos como parte da investigação criminal.

"O governo tem duas prioridades atualmente: continuar a investigação para fazer justiça à família do presidente e organizar seu funeral", disse Claude Joseph, cuja legitimidade como chefe do Executivo haitiano é questionada por parte da oposição. Ele informou que o funeral será organizado "em coordenação com a esposa do presidente", Martine Moise, transferida para um hospital americano após ser ferida no atentado que matou o presidente haitiano no último dia 7.

O comitê é composto por vários ministros, o diretor de gabinete de Moise, o secretário-geral da presidência e o diretor geral do Museu do Panteão Nacional.

Joseph não forneceu detalhes sobre o andamento da investigação sobre o assassinato do presidente. Ela "é muito delicada, temos que tomar muitos cuidados", declarou.

A polícia haitiana anunciou a prisão de mais de 20 pessoas, incluindo 18 colombianos e três haitianos (dois dos quais também têm nacionalidade americana). Além disso, foi detido o suposto autor intelectual, Christian Emmanuel Sanon, haitiano que chegou da Flórida.

Como parte da investigação, a polícia haitiana emitiu vários avisos de pessoas procuradas: o ex-funcionário do governo Joseph Felix Badio, o ex-senador John Joel Joseph e um empresário chamado Rodolph Jaar. A polícia disse considerá-los indivíduos "perigosos e armados".


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade