Publicidade

Estado de Minas BOGOTÁ

Estudo classifica a Colômbia como país com mais espécies de borboletas no mundo


22/06/2021 20:52 - atualizado 22/06/2021 20:55

Vinte por cento das espécies de borboletas do mundo estão na Colômbia, país com a maior diversidade desses insetos no planeta, segundo estudo publicado nesta terça-feira (22) pelo Museu de História Natural de Londres.

Um grupo internacional de cientistas compilou 3.642 espécies e 2.085 subespécies de lepidópteros e as registrou no documento "Borboletas da Colômbia, lista de verificação".

"Mais de 200 espécies de borboletas desta lista são exclusivas da Colômbia e não são encontradas em nenhum outro país do mundo, então se as perdermos não haverá população de reserva e elas desaparecerão para sempre", alertou a doutora Blanca Huertas, curadora do Museu de História Natural de Londres e parte da equipe de pesquisa.

Os cientistas envolvidos trabalharam neste projeto "durante a maior parte de suas carreiras", com viagens ao país, análise de mais de 350 mil fotografias e uma compilação da bibliografia existente desde o século 18, disse o museu em um boletim.

Com a publicação do documento de 300 páginas, "a Colômbia passou a ser oficialmente reconhecida como tendo o maior número de espécies de borboletas do mundo, posição que já ocupa para aves e orquídeas", acrescentou.

De acordo com o estudo, Peru e Equador estão próximos a essa diversidade de lepidópteros, mas não há publicações detalhadas que deem respaldo.

O relatório garante que a lista "continua com lacunas de informação importantes" e deve ser alimentada com novas descobertas em um dos países de maior biodiversidade do mundo.

"A Colômbia é um país com uma grande diversidade de habitats naturais, uma geografia complexa e heterogênea (...) Esses fatores, somados à delicada ordem pública do século passado em certas regiões, têm limitado até agora, o avanço da exploração em campo", indica o relatório.

Com mais de meio século de conflito armado, algumas áreas do país permaneceram sob o controle de guerrilheiros, paramilitares ou narcotraficantes com pouca presença do Estado.

Espera-se que o estudo forneça também informações para monitoramento e conservação.

"Proteger borboletas na Colômbia ajudará a proteger suas florestas e outras espécies menos carismáticas", disse Huertas.

O país perdeu quase 2,8 milhões de hectares de floresta entre 2000 e 2019, o equivalente à área da Bélgica, de acordo com o Departamento de Planejamento Nacional do estado.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade