Publicidade

Estado de Minas BRUXELAS

UE apresenta plano estratégico para relações com a Rússia


16/06/2021 11:27 - atualizado 16/06/2021 11:31

O chefe da diplomacia da União Europeia (UE), Josep Borrell, apresentou nesta quarta-feira (16) o novo plano estratégico para as relações com a Rússia e destacou que o bloco deve, simultaneamente, "responder, conter e dialogar" com as autoridades de Moscou.

Borrell observou que as relações com o governo russo estão em "seu nível mais baixo" e que este vínculo deve ser baseado em um "forte entendimento dos objetivos da Rússia e em uma abordagem de pragmatismo apoiado em princípios".

"Esses três verbos [responder, conter, dialogar] representam as diretrizes da nossa ação", disse Borrell.

O funcionário espanhol acrescentou que, "se os Estados-membros [da UE] aprovarem essas recomendações, terão que fazê-las serem respeitadas, e não permitir que a Rússia nos divida".

"Uma associação renovada, que nos permita alcançar todo potencial de cooperação com a Rússia é uma perspectiva distante e, portanto, temos que ser realistas e estarmos preparados para uma deterioração ainda maior da nossa relação", advertiu.

A UE mantinha até agora uma estratégia clara em suas relações com a Rússia, mas uma tumultuada visita de Borrell a Moscou, em fevereiro passado, e a contínua deterioração da relação bilateral motivaram o bloco a definir um novo conjunto de princípios.

Esta relação já tensa escalou com a condenação à prisão do opositor Alexei Navalny e ficou à beira do colapso depois da visita de Borrell a Moscou.

Para agravar o quadro ainda mais, a Rússia adotou sanções contra um grupo de cidadãos europeus, em retaliação às medidas restritivas aprovadas pela UE, devido ao "caso Navalny".

Finalmente, no final de junho, uma cúpula da UE encarregou Borrell e sua equipe de definirem a nova estratégia.

Ao apresentar as novas diretrizes do plano, Borrell lamentou que "a Rússia não queira conversar com a União Europeia. Prefere falar diretamente com alguns dos países-membros, aqueles que considera que têm alguma importância".

Diante de tal conduta, disse ele, a UE deve "mostrar unidade".

"Mais de uma vez a UE mostrou unidade, apesar das tentativas da Rússia de nos dividir, e esta unidade é nosso maior capital e tem que ser ainda mais robusta", frisou.

Por isso, insistiu, os países da UE "terão que entender que não podem falar um a um em negociações bilaterais com a Rússia".

Ainda assim, Borrell afirmou que UE e Rússia mantêm áreas de interesse comum, como as ações contra a mudança climática e o pleno resgate do acordo P5+1 firmado com Irã por sua política nuclear.

Este novo plano estratégico para as relações da UE com a Rússia foi apresentado enquanto, em Genebra, na Suíça, o presidente americano, Joe Biden, e o líder russo, Vladimir Putin preparavam-se para uma reunião presencial.

Na segunda-feira (14), Biden participou de uma cúpula da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), em Bruxelas, que teve a Rússia como um de seus temas centrais.

Ao final dessa cúpula, Biden disse que "não buscamos um conflito com a Rússia, mas responderemos se ela continuar com suas atividades agressivas".


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade