Publicidade

Estado de Minas LONDRES

Polícia de Londres é acusada de 'corrupção' em caso de assassinato de detetive não resolvido


15/06/2021 11:43

Um relatório independente revelado nesta terça-feira (15) sobre o assassinato, sem solução, de um detetive particular morto há mais de trinta anos em Londres, acusa a polícia da capital britânica de "corrupção institucional" em sua gestão deste caso.

O primeiro objetivo da polícia metropolitana foi o de se "proteger, escondendo suas falhas, e com isso agravou o sofrimento e trauma da família" da vítima, Daniel Morgan, declarou a presidente desta investigação independente, Nuala O'Loan.

Ela destacou que "desde o momento do assassinato, houve graves falhas na investigação, tanto na cena do crime, que nunca foi registrado, como no decorrer da investigação".

Este relatório, solicitado oito anos atrás pelo governo da época, critica duramente a polícia metropolitana e estima que deve pedir desculpas à família de Morgan e à sociedade em geral.

Em um comunicado, a polícia metropolitana expressou "seu profundo pesar por não ter conseguido levar à Justiça os assassinos de Daniel Morgan", e "reconhece que a corrupção foi um fator de destaque no fracasso da investigação realizada em 1987".

Daniel Morgan, um detetive particular que tinha 38 anos, foi assassinado com um machado no estacionamento de um pub em Sydenham (sudeste de Londres), em 10 de março de 1987.

Apesar de cinco investigações policiais e outra judicial, ninguém foi levado à Justiça pela morte deste pai de dois filhos.

A ministra do Interior, Priti Patel, disse que este relatório é "preocupante", e que escreveu para a atual chefe da instituição, solicitando "uma resposta detalhada às recomendações".

A família de Morgan se manifestou satisfeita com a determinação "de corrupção policial" no caso.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade