Publicidade

Estado de Minas MADRI

Polícia retoma busca de irmã da menina encontrada no fundo do mar na Espanha


14/06/2021 13:31 - atualizado 14/06/2021 13:37

Uma embarcação retomou, nesta segunda-feira (14), a busca no mar da ilha espanhola de Tenerife pelo corpo de uma menina, cuja irmã foi encontrada na semana passada, ambas assassinadas pelo pai para causar uma "dor desumana em sua ex-companheira", segundo a Justiça.

Em um país comovido por este caso, centenas de pessoas se manifestaram nesta segunda-feira, depois dos inúmeros protestos na sexta-feira passada em diferentes cidades, convocados por coletivos feministas para repudiar os crimes.

No porto desde sábado devido a uma avaria, a embarcação oceanográfica que colabora na busca zarpou novamente para continuar a varrer uma zona perto de Tenerife onde as autoridades esperam encontrar o corpo de Anna, de um ano, e do seu pai, Tomás Gimeno, que pode ter cometido suicídio.

Anna, de 1 ano, e sua irmã Olivia, de 6, foram dadas como desaparecidas em 27 de abril depois que seu pai fez uma última ligação "com um tom de despedida" para a mãe, de quem estava separado, segundo a polícia.

Na quinta-feira, após uma intensa busca com o navio oceanográfico e um robô subaquático, foi encontrado o corpo de Olivia a mil metros de profundidade dentro de um saco amarrado à âncora de uma embarcação do pai, provocando um grande impacto na Espanha.

No fim de semana, um tribunal nas Canárias encerrou a fase secreta do caso e divulgou os detalhes em um comunicado, como a suspeita de que o pai, Tomás Gimeno, "matou suas duas filhas em sua casa e depois jogou os corpos no mar", onde seria difícil encontrá-los.

O objetivo do pai, que está foragido, não era "afastá-las da mãe (...), mas supostamente matá-las de maneira planejada e premeditada, com o objetivo de causar uma dor desumana em sua ex-companheira", disse o tribunal.

Segundo fontes próximas à investigação citadas pela imprensa, o pai das duas meninas foi visto no dia de seu desaparecimento carregando bolsas esportivas em seu barco.

A necrópsia do corpo de Olivia determinou que a menina faleceu "de morte violenta", informou o tribunal.

"Embora apenas o corpo de Olivia esteja localizado até o momento, a hipótese factual mais provável sobre Anna é, infelizmente, a mesma", acrescentou.

Em uma carta aberta publicada no fim de semana, a mãe das meninas pediu que a morte das pequenas "não tenha sido em vão" e sirva para dar visibilidade "à violência vicária", aquela infligida aos filhos para que a mãe sofra.

"Dói-me a alma não ter sido capaz de salvar suas vidas. Queria ter estado naquele momento com elas de mãos dadas e morrer junto... Mas não pude porque Tomás queria que eu sofresse, procurando incansavelmente e pela vida", escreveu a mãe.

Na sexta-feira, o presidente do governo, Pedro Sánchez, afirmou que "toda a Espanha está comovida" por este caso.

Na Espanha, 39 menores foram assassinados pelos próprios pais ou pelos companheiros ou ex-companheiros de suas mães desde 2013, segundo dados oficiais.

No decorrer de 2021, 18 mulheres foram assassinadas como resultado da violência de gênero, elevando a 1.096 o total de vítimas desde 2003, quando começou a contagem oficial.

Twitter


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade