Publicidade

Estado de Minas PARIS

Moretti, Serebrennikov, Penn e Audiard em competição oficial em Cannes


03/06/2021 10:06

O 74º Festival de Cannes receberá 24 filmes em competição oficial em julho, incluindo os dos diretores italiano Nanni Moretti, americano Sean Penn, russo Kirill Serebrennikov e francês Jacques Audiard, anunciaram os organizadores nesta quinta-feira (3) em entrevista coletiva.

Eles se juntam a Leos Carax ("Annette", filme de abertura), ao americano Wes Anderson ("The French Dispatch") e ao holandês Paul Verhoeven ("Benedetta"), cujos nomes já haviam sido revelados.

Após seu cancelamento no ano passado devido à pandemia de covid-19, a maior competição cinematográfica do mundo será realizada entre os dias 6 e 17 de julho na cidade do sudeste da França.

Entre os 24 filmes que disputarão a Palma de Ouro, quatro são assinados por mulheres.

"Flag Day" de Sean Penn; "Tre Piani" de Moretti e "Petrov's flu" de Serebrennikov vão competir ao lado dos três filmes já anunciados.

Este ano, porém, não há nenhum filme dirigido por um cineasta ibero-americano. Na última edição, foram dois: "Dor e Glória", do espanhol Pedro Almodóvar, e "Bacurau", dos brasileiros Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles.

Por sua vez, o tailandês Apichatpong Weerasethakul apresentará seu último trabalho, "Memoria", rodado na Colômbia e estrelado por Tilda Swinton e Jeanne Balibar.

Entre os filmes fora de competição, destaque para "De son vivant" de Emmanuelle Bercot com Catherine Deneuve, Cécile de France e Benoit Magimel. As filmagens tiveram que ser interrompidas após a internação de Catherine Deneuve.

Outro filme muito aguardado é "Stillwater", um thriller de Tom Mc Carthy rodado em Marselha com Matt Damon e Camille Cottin.

Na última edição, em 2019, a Palma de Ouro foi para "Parasita", do sul-coreano Bong Joon-ho.

"Ouvimos dizer que as salas de cinema iam morrer" com a pandemia, disse na coletiva de imprensa o delegado geral do Festival, Thierry Frémaux.

Mas "o afluxo de público após a reabertura dos cinemas na França e em outros países" provou o contrário, acrescentou. "E o Festival de Cannes é a segunda grande notícia para o cinema", defendeu.

Este ano, o festival terá uma nova mostra, intitulada "Cannes Premières". Esta seleção abrirá espaço para cineastas "confirmados" que já tenham sido selecionados para a competição.

Outra novidade: a criação de uma seção temporária dedicada às questões ambientais. O Festival anunciou em meados de abril uma série de medidas destinadas a reduzir sua pegada ambiental, bem como uma contribuição paga pelos jornalistas credenciados.

Na mostra paralela "Um Certo Olhar", destaque para "Noche de fuego", da mexicana Tatiana Huezo, e entre as especiais, "O Marinheiro das Montanhas" do brasileiro Karim Ainouz, premiado em 2019 em Cannes por "A Vida Invisível de Eurídice Gusmão".

No total, a Seleção Oficial contemplará 61 filmes. A composição do júri, presidido pelo americano Spike Lee, ainda não foi revelada.

Logisticamente, Thierry Frémaux apelou à "prevenção" e "cautela", argumentando que a epidemia da covid-19 ainda não foi "derrotada".

O festival será realizado dois meses depois de suas datas habituais, coincidindo com o levantamento progressivo das restrições impostas na França pela pandemia.

Embora apenas metade dos 40.000 participantes diários que o festival costuma atrair sejam esperados, nenhuma limitação de capacidade está prevista nas salas.

Em contrapartida, será necessário um "passe sanitário" (comprovante de vacinação ou teste PCR negativo).


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade