Publicidade

Estado de Minas BUCARESTE

Avião de ditador Ceausescu é vendido por EUR120.000 na Romênia


27/05/2021 23:17

O avião do ditador romeno deposto Nicolae Ceausescu, que simboliza a independência de seu país da União Soviética, foi vendido por 120.000 euros em Bucareste nesta quinta-feira (27), após ter sido parte da tumultuada história da Romênia por décadas.

Cerca de 150 colecionadores e entusiastas da aviação deram seus lances por telefone ou pela internet para comprar a aeronave, que teve como lance base o valor de 25 mil euros, segundo Alina Panico, porta-voz da casa de leilões Artmark, com sede na capital romena.

Da mesma forma, um carro de luxo Paykan Hillman Hunter que o Xá do Irã presenteou a Ceausescu em 1974 foi comprado por 95.000 euros no mesmo leilão por um colecionador romeno.

A aeronave, uma Rombac Super One-Eleven, com o marca da "República Socialista da Romênia", saiu de uma fábrica em Bucareste em 1986, a quinta de um total de nove concebidas sob licença da British Aircraft Corporation (BAC).

Assim, a Romênia se tornou o primeiro país da Europa Oriental a fabricar aviões a jato fora da URSS e a "coroar a independência industrial" que Ceausescu buscava do poder soviético, lembra Artmark.

"Para os romenos, foi um orgulho construir este tipo de aeronave, na vanguarda da tecnologia", lembrou à AFP Gheorghe Mirica, um ex-piloto do exército que conseguiu testar o Rombac em um voo.

Para atender às demandas do ditador, a cabine foi preparada para ter um dormitório e um escritório, para que Ceausescu pudesse jogar gamão com sua esposa, seu hobby preferido, segundo um ex-piloto que voou com o casal.

Ceaucescu, que governou a Romênia com punho de ferro a partir de 1965, foi deposto por uma revolta popular e executado a bala em 25 de dezembro de 1989, junto com sua esposa Elena.

A história incomum desta aeronave remonta a 1978. Por ocasião de uma viagem a Londres, Ceausescu assinou um contrato de 300 milhões de libras como garantia para a fabricação do modelo Rombac em Bucareste.

Entre as nove cópias do Rombac fabricadas na Romênia, algumas voavam com as cores da pequena empresa LAR, criada na década de 1970 pelo regime comunista que tinha apenas um destino: Tel Aviv.

A Romênia, que foi o único país que manteve laços diplomáticos com Israel após a Guerra dos Seis Dias de 1967, também foi o único país que operou voos com o estado hebraico.

Bucareste prometeu fabricar 80 aeronaves no total, mas a queda de Ceausescu em 1989 encerrou o ambicioso projeto.

O avião presidencial foi posteriormente explorado pela estatal Romavia, que o alugou da empresa paquistanesa Aero Asia, antes de deixá-lo encalhado em uma garagem. Em 2014 foi à falência e agora seus ativos estão sendo vendidos.

Para evitar que o famoso avião acabasse como sucata, um punhado de entusiastas conseguiu em março que a aeronave fosse registrada pelas autoridades como "patrimônio nacional".

"Não pode ser despedaçado ou modificado, nem pode sair do território romeno", explica Adrian Ciutan, ex-técnico do Rombac que iniciou esta campanha.

BOEING


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade