Publicidade

Estado de Minas MÉXICO

México pede a EUA que garanta direitos a trabalhadores agrícolas migrantes


12/05/2021 21:14

O México invocou nesta quarta-feira (12) o acordo de livre comércio que mantém com Estados Unidos e Canadá (T-MEC) para pedir a seu vizinho do norte que garanta a aplicação das leis trabalhistas na indústria agrícola, informou a chancelaria mexicana em nota.

O governo mexicano detectou "falta de aplicação das leis trabalhistas (...) na indústria agrícola dos Estados Unidos" para prejudicar os migrantes mexicanos, afirma o comunicado.

As observações, enviadas em uma carta ao secretário do Trabalho, Marty Walsh, incluem a "indústria de processamento e embalagem de carnes nos Estados Unidos", acrescentou a chancelaria.

Para tratar da questão, o México propôs "um espaço de cooperação no âmbito do T-MEC, nos termos do artigo 23.12 (...) e, assim, garantir integralmente os direitos trabalhistas previstos na legislação federal dos Estados Unidos e no Capítulo 23 do T-MEC".

Embora em nível federal os direitos trabalhistas nos Estados Unidos "protejam todos os trabalhadores, independentemente de sua situação de imigração", na prática a realidade é diferente, destacou a chancelaria.

Fatores como "ignorância, medo e abuso por parte de alguns empregadores impedem os trabalhadores migrantes de exercer plenamente seus direitos trabalhistas em algumas indústrias e estados", continuou.

Os trabalhadores migrantes mexicanos sofrem, segundo a chancelaria, "o não pagamento de salários e das correspondentes horas extras, o direito de se organizar e negociar coletivamente".

Além disso, há "disparidade salarial entre trabalhadores de frigoríficos e trabalhadores de fábricas de processamento de carnes", disse o comunicado.

Também não há medidas preventivas contra a "covid-19 e de saúde e segurança para evitar o contágio e disseminação em ambas as indústrias".

É a segunda vez no mesmo dia que os dois países utilizam mecanismos de direitos trabalhistas previstos no T-MEC, que substituiu o Acordo de Livre Comércio da América do Norte (Nafta) em julho de 2020.

Na manhã desta quarta-feira, o governo dos Estados Unidos apelou ao acordo para pedir ao México que determine se os direitos sindicais dos funcionários de uma fábrica da General Motors (GM) foram violados.

O presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, disse que responderá ao pedido de Washington "imediatamente".

Cerca de 11 milhões de mexicanos vivem nos Estados Unidos, segundo dados oficiais.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade