Publicidade

Estado de Minas PARIS

França naturaliza 2.000 trabalhadores estrangeiros da linha de frente


05/05/2021 13:30

A França concedeu cidadania a mais de 2.000 trabalhadores estrangeiros que estiveram na linha de frente durante a pandemia de coronavírus para recompensar seus serviços à nação, informou o governo nesta quarta-feira (5).

Marlène Schiappa, ministra responsável pela Cidadania, disse que 2.009 pessoas foram naturalizadas por terem "demonstrado apego à nação".

Schiappa instruiu as autoridades em setembro a agilizar os pedidos de cidadania de trabalhadores essenciais que haviam "contribuído ativamente" para a luta contra a covid-19.

Essas pessoas foram autorizadas a solicitar a cidadania depois de apenas dois anos na França, em vez do requisito habitual de cinco anos.

Entre os beneficiados há profissionais da saúde, seguranças, caixas, catadores de lixo e cuidadores domiciliares.

Mais de 8.000 pessoas se candidataram à cidadania neste programa, disse o escritório de Schiappa, acrescentando que todas as solicitações estão sendo "levadas em consideração".

Em 2020, 61.371 pessoas obtiveram a cidadania francesa, 20% a menos que em 2019.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade