Publicidade

Estado de Minas VIENA

Comoção na Áustria devido ao nono feminicídio em 2021


30/04/2021 15:51

Um novo feminicídio comoveu Áustria nesta sexta-feira(30), depois que se soube que o suposto assassino venceu na justiça uma política ambientalista que o denunciou por assédio.

É o nono feminicídio no país neste ano, de acordo com a imprensa austríaca. No ano passado, 31 mulheres foram assassinadas.

A polícia anunciou a prisão do homem acusado de ter matado sua ex-companheira à queima-roupa em Viena na noite de quinta-feira.

A mãe de dois filhos, de 35 anos, morreu no hospital devido a ferimentos a bala.

As autoridades não revelaram a identidade do suspeito de 42 anos, mas segundo a imprensa local, trata-se de um sujeito que dirige uma cervejaria na capital austríaca e que já responde a um processo judicial.

Em 2018, ele acusou uma ativista ambiental, Sigrid Maurer, de difamação por ter publicado seu nome com mensagens privadas obscenas que ele a enviou no Facebook.

A ativista, que se tornou líder da bancada ambientalista parlamentar, afirma que apenas lutava contra a impunidade no assédio online.

Mas o tribunal a condenou em primeira instância, considerando que ela deveria ter verificado de que se tratava do autor dos insultos.

Ele negou qualquer responsabilidade. Depois de várias reviravoltas no caso, ela acabou desistindo da denúncia.

Nesta sexta-feira, Maurer afirmou estar "comovida", e a ministra responsável pelos direitos da mulher, Susanne Raab, disse que estava "profundamente triste".

Duas outras ministros, uma deles sob lágrimas, pediram ações para "prevenir esta violência".

FACEBOOK


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade