Publicidade

Estado de Minas NOVA DÉLHI

Índia encontra dificuldades na ambiciosa campanha para vacinar todos os adultos


29/04/2021 12:00

O projeto da Índia de derrotar a covid-19 com uma megacampanha de vacinação em poucos meses parece não gerar muitos frutos e o programa enfrenta agora a escassez de doses e todo tipo de obstáculo, incluindo disputas políticas.

Diante de um aumento exponencial dos casos, entre 500 milhões e 600 milhões de indianos estarão aptos a receber a vacina, aberta a todos os adultos a partir de sábado.

Até agora, a equipe de saúde e os trabalhadores na "linha de frente", os adultos maiores de 45 anos e as pessoas com comorbidades já se beneficiaram de uma das duas vacinas oferecidas na campanha, a Covishield da AstraZeneca e a Covaxin da Bharat Biotech.

Porém, mesmo nesta primeira fase em pequena escala, a campanha sofreu fracassos, e em algumas regiões as vacinas se esgotaram, enquanto em outras estão sendo desperdiçadas pela relutância em se vacinar.

"As filas aqui são enormes", diz Jayanti Vasant, em um movimentado centro de vacinação de Bangalore, "e as pessoas não param de furar".

- Vacinas insuficientes -

Até agora, foram administradas cerca de 150 milhões de vacinas, ou seja, 11,5% dos 1,3 bilhão de habitantes da Índia já foram vacinados.

Apenas 25 milhões deles receberam as duas injeções. Segundo o governo, há mais de 10 milhões de vacinas armazenadas nos estados indianos, e outros 8 milhões estarão disponíveis nos próximos dias.

O Serum Institute of India (SII) produz entre 60 milhões e 70 milhões de doses da AstraZeneca por mês, e seu objetivo é alcançar os 100 milhões em julho. O Bharat está, por sua vez, produzindo 10 milhões de doses da Covaxin por mês e tem como objetivo entre 60 milhões e 70 milhões.

As empresas indianas também fecharam acordos para produzir outras vacinas a nível local, como a russa Sputnik V - da qual se espera um carregamento em breve -, a vacina de uma só dose da Johnson & Johnson e a Novomax.

Mas elas podem levar meses para serem aplicadas.

"Queremos controlar a epidemia, salvar vidas ou as duas coisas? Se queremos as duas coisas, vamos precisar de uma grande quantidade de vacinas. E não temos", disse T Jacob John, professor aposentado de virologia clínica no Christian Medical College de Vellore.

Vários estados, entre eles Maharashtra e Nova Delhi, as regiões mais afetadas pela epidemia, anunciaram que estão sem vacinas, o que complica o plano para começar a vacinar todos os adultos maiores de 18 anos.

Apesar disso e da obrigação de fazer agendamento prévio por meio de um aplicativo do governo, há temores de uma avalanche de pessoas nos centros de vacinação a partir de sábado.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade