Publicidade

Estado de Minas LONDRES

Londres revela novas regras para viagens internacionais


05/04/2021 15:43 - atualizado 05/04/2021 15:49

O primeiro-ministro britânico Boris Johnson autorizou, nesta segunda-feira (5), a próxima etapa do desconfinamento, mas pede paciência aos cidadãos que desejam viajar ao sol após um longo inverno confinados.

A forte melhora da situação sanitária do Reino Unido, o país mais afetado da Europa pela covid-19 (cerca de 127.000 mortes) e confinado desde o início de janeiro, além do avanço da vacinação, deixam os britânicos com vontade de viajar, acostumados a visitar as praias do Mediterrâneo no verão.

Apesar da pressão crescente, Boris Johnson se limitou a confirmar a abertura em 12 de abril na Inglaterra dos comércios não essenciais como salões de beleza, terraços de pubs ou academias. Ele rejeitou se comprometer com uma data para viagens ao exterior, proibidas até 17 de maio exceto por motivos essenciais.

"Não quero ser refém do destino ou subestimar as dificuldades que vemos em alguns países para onde as pessoas querem ir", disse o líder conservador em coletiva de imprensa.

"Não queremos que o vírus volte do exterior. Está ressurgindo em algumas partes do mundo", acrescentou.

O governo se limitou a publicar os grandes princípios que marcarão as futuras viagens: um sistema tricolor para classificar os países de acordo com o grau de avanço de sua vacinação, sua taxa de contaminação ou a presença de variantes preocupantes.

Os destinos verdes não precisarão de quarentena no retorno e serão exigidos um teste antes de viajar e outro ao chegar, ao contrário dos países laranja (testes e quarentena em casa) e vermelho (chegadas limitadas aos residentes, quarentena paga em hotel e testes).

Atualmente, todos os viajantes que chegam ao Reino Unido devem realizar uma quarentena de dez dias em suas casas. No caso dos países de risco, a quarentena deve ser realizada em hotel, mediante pagamento dos próprios viajantes. As fronteiras estão fechadas para os não residentes procedentes de um país na lista vermelha.

Downing Street disse, no entanto, que ainda é cedo para estabelecer uma lista de países e continua desaconselhando as reservas para viajar ao exterior.

"Fizemos enormes progressos nos últimos meses com o nosso programa de vacinação e no país todos fizeram grandes sacrifícios para que possamos alcançar esta etapa de nossa recuperação da covid-19", declarou Johnnson mais cedo em um comunicado.

"Estamos fazendo o que podemos para permitir a reabertura (...) da forma mais segura possível", acrescentou.

As novas medidas tentam não colocar em risco a campanha que já administrou mais de 31,5 milhões de primeiras doses no Reino Unido, o que representa quase metade da população total.

- Passaporte "discriminatório" -

Para manter o vírus sob controle, o governo também planeja testar um sistema de passaporte de saúde para aglomerações na Inglaterra, como jogos de futebol e eventos indoor.

Este certificado indicaria que uma pessoa foi vacinada, é negativa para o coronavírus, ou tem anticorpos. Não será exigido nos transportes públicos, nem nos estabelecimentos comerciais não essenciais. A reabertura destes negócios está prevista para 12 de abril, junto com a das áreas externas de bares e restaurantes.

Vários testes-piloto serão lançados a partir de meados de abril, principalmente para a final da Copa da Inglaterra de futebol no Estádio de Wembley, que também receberá a final da Eurocopa em 11 de julho.

Mas este projeto de passaporte de saúde também desperta críticas e foi recebido com hostilidade por mais de 70 parlamentares britânicos de todo espectro político. A proposta é considerada "discriminatória" - o suficiente para potencialmente fracassar, em caso de votação no Parlamento.

Uma autoridade da oposição trabalhista, Rachel Reeves, declarou nesta segunda-feira que tinha "muitas reservas" sobre o dispositivo, dizendo que a prioridade deveria ser a vacinação.

Medida adicional para facilitar a reabertura das empresas e "quebrar as cadeias de transmissão", os habitantes da Inglaterra poderão, a partir de sexta-feira, fazer dois testes rápidos de triagem por semana.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade