Publicidade

Estado de Minas BOGOTÁ

Justiça da Colômbia impõe primeira condenação por crime contra repórteres equatorianos


30/03/2021 14:53

A Justiça da Colômbia impôs uma condenação de quase 30 anos de prisão a um guerrilheiro que se afastou do pacto de paz, pela sua participação no sequestro e assassinato de uma equipe de repórteres equatorianos em 2018, anunciou a Promotoria nesta terça-feira (30).

Jesús Vargas, conhecido como Reinel e que exercia como comando intermediário do grupo armado Oliver Sinisterra, deverá cumprir 28 anos e 8 meses de prisão pelo crime contra os trabalhadores do jornal El Comercio na fronteira entre os dois países.

Ele é o primeiro condenado por esse caso que foi repudiado internacionalmente.

O jornalista Javier Ortega (32 anos), o fotógrafo Paúl Rivas (45) e o motorista Efraín Segarra (60) foram sequestrados no Equador por dissidentes das extintas FARC em 26 de março de 2018.

"Posteriormente, ficaram na responsabilidade de Reinel, que foi o encarregado de prendê-los até que Guacho, então chefe da estrutura dissidente, ordenou assassiná-los", detalhou a Promotoria colombiana em um comunicado.

Os corpos foram encontrados três meses depois do sequestro em uma fossa clandestina localizada do lado colombiano da fronteira, no departamento colombiano de Nariño (sul), região com mais cultivo de drogas do mundo.

O equatoriano Walther Arizala, conhecido como Guacho, foi morto por militares colombianos em dezembro do mesmo ano.

De 29 anos, Reinel, que foi detido em julho de 2018, aceitou sua responsabilidade no ocorrido.

A Comissão Interamericana de Direitos Humanos afirmou em um relatório que as ações do Equador para proteger os repórteres assassinados "foram insuficientes".


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade