Publicidade

Estado de Minas ROMA

Itália registra recorde de falecimentos em 2020


26/03/2021 11:07

A Itália registrou em 2020 um número recorde de mortes desde a Segunda Guerra Mundial devido à pandemia, com 100 mil mortes a mais em relação à média, de acordo com estatísticas oficiais publicadas nesta sexta-feira (26).

"O quadro demográfico de nosso país sofreu uma mudança profunda devido às mortes por covid-19", sublinhou o Instituto Nacional de Estatística (Istat) em um comunicado.

"Em 2020, o número total de mortes chegou a 746.146, o maior desde a Segunda Guerra Mundial, com um aumento de mais de 100 mil (+ 15,6%) em relação às médias registradas entre 2015 e 2019", enfatizou a entidade.

Por sua vez, o ministério da Saúde italiano indicou que o número de pessoas que morreram por coronavírus foi de 74.000 até 31 de dezembro de 2020.

O Istat não explicou a diferença de dados entre as duas instituições.

No decorrer de 2021, a Itália ultrapassou as 100.000 mortes por coronavírus, tendo sido o primeiro país da Europa afetado, em março de 2020, pela pandemia.

De acordo com o Istat, as regiões do norte pagaram o preço mais alto.

Paralelamente, o número de nascimentos voltou a cair (404.104 nascimentos, um decréscimo de 3,8% em comparação com 2019), o que confirma o declínio demográfico da península.

A população da Itália diminuiu cerca de 384.000 pessoas em 2020, em comparação com 2019. "É como se uma cidade do tamanho de Florença tivesse desaparecido", explicou a entidade.

Até 31 de dezembro de 2020, a Itália tinha uma população de 59.257.566, o que significa que perdeu 0,6% em 12 meses.

"O novo recorde decrescente de nascimentos (404.000) e o elevado número de óbitos (746.000) representam um recorde, algo que nunca havia sido registrado no pós-guerra e agrava a tendência negativa dos últimos anos", concluiu Istat.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade