Publicidade

Estado de Minas BUENOS AIRES

Presidente argentino nomeia novo ministro para impulsionar reforma judicial


15/03/2021 21:59

O presidente argentino, Alberto Fernández, nomeou nesta segunda-feira (15) o deputado Martín Soria como novo ministro da Justiça, em substituição à demissionária Marcela Losardo, uma mudança-chave em um momento em que o governo aposta em uma reforma judicial em um ano eleitoral.

"Hoje almocei com Martín Soria. Contei-lhe quais são as minhas expectativas e ele aceitou assumir o cargo. Ele tem que tomar o tempo de renunciar como deputado, mas (o ministro) vai ser Martín Soria", declarou Fernández em entrevista que será transmitida esta noite pelo canal 9 da televisão aberta, segundo um trecho divulgado nas redes sociais.

Deputado federal da governista Frente de Todos pela província de Río Negro, na Patagônia, Soria é um dos impulsionadores de uma causa que investiga supostas pressões políticas a juízes de parte do governo do ex-presidente Mauricio Macri (2015-2019), conhecida como a "mesa judicial".

"Imaginam um juiz reunido com @alferdez (Alberto Fernández) na @CasaRosada (sede do governo) antes de entrar com um processo contra Macri? Seria um escândalo, não? Mas o juiz Gustavo Hornos (Cassação Penal) visitou Macri antes de processar @CFKArgentina (a vice-presidente Cristina Kirchner) e ninguém ficou sabendo. #LawfareAlPalo", diz um tuíte de Soria, postado em 8 de fevereiro.

Em outra mensagem recente, publicada na mesma rede social, o deputado escreveu: "Outro dia lhes conto como a Casa Rosada não foi só a sede onde se planejava a perseguição dos opositores políticos, mas também a sucursal dos negócios espúrios do Clã Macri".

Membro de uma família de políticos, Soria foi prefeito, legislador provincial e agora deputado federal e presidente do Partido Justicialista (PJ, peronismo) de Río Negro.

Losardo manifestou o desejo de se afastar do cargo depois que o presidente fez duras críticas ao funcionamento do poder judiciário e à Suprema Corte durante um discurso em 1º de março na Assembleia Legislativa.

"A reforma do poder judiciário em sua mais ampla dimensão também é uma demanda inadiável da sociedade em seu conjunto", disse Fernández, que já havia apresentado no ano passado um projeto de lei para reformar o foro federal, ainda pendente de debate na Câmara dos Deputados.

A vice e ex-presidente Cristina Kirchner (2007-2015) também foi dura com o poder judiciário, ao qual acusou de "se comportar como uma corporação" e de participar de "lawfare" (guerra judicial) contra ela, ao depor em uma audiência recente em um processo no qual responde por apropriação indevida.

O nome do substituto de Losardo gerou um acúmulo de versões na última semana. A ex-ministra, uma advogada da confiança do presidente, mas sem vínculos com a política partidária, apresentou sua renúncia na sexta-feira e assumirá o cargo de representante da Argentina na Unesco, com sede em Paris.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade