Publicidade

Estado de Minas CARTUM

Sudão liberta poderoso chefe de milícia, acusado de atrocidades pela ONU


11/03/2021 16:28

As autoridades sudanesas libertaram o poderoso chefe de milícias Mussa Hilal, sancionado pela ONU por atrocidades cometidas na região de Darfur e preso desde 2017, informou nesta quinta-feira (11) à AFP um de seus conselheiros.

A libertação ocorre em um momento em que o governo de transição sudanês busca pacificar Darfur, após um acordo de paz assinado em outubro com grupos rebeldes, destinado a pôr um ponto final a décadas de um conflito sangrento nesta vasta região (oeste).

"Mussa Hilal foi libertado junto com outros (milicianos). Estão voltando para suas casas", destacou à AFP o conselheiro Ismail Aghbash.

Seu grupo, "Awakening Revolutionary Council", confirmou as libertações, consequência de um "indulto presidencial". As autoridades não comentaram este anúncio por enquanto.

Nos primeiros anos do conflito em Darfur, que começou em 2003, as poderosas e temidas milícias Janjaweed dirigidas por Hilal lutaram juntamente com o governo contra os rebeldes.

Mas, em 2014, o líder da milícia se inimizou com o governo de Omar al Bashir após acusá-lo de tentar minar as relações entre tribos de Darfur Norte, de onde é originário.

Foi detido em 2017 após combates mortais nesta província entre os Janjaweed e as Forças de Apoio Rápido (RSF), grupo paramilitar.

Hilal está desde 2006 na lista de pessoas acusadas pela ONU de supostas violações dos direitos humanos e atrocidades maciças contra civis em Darfur.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade