Publicidade

Estado de Minas ACRA

Gana recebe primeiro lote mundial de vacinas gratuitas Covax


24/02/2021 08:01 - atualizado 24/02/2021 08:07

Gana recebeu nesta quarta-feira (24) o primeiro lote mundial de vacinas financiadas pelo dispositivo Covax, que tem como objetivo proporcionar aos países de baixa renda as primeiras doses de fármacos anticovid, anunciaram o Unicef e a Organização Mundial da Saúde (OMS).

O avião com 600.000 doses da vacina fabricadas pelo Instituto Serum da Índia, pousou no aeroporto de Acra às 7H40 GMT (4H40 de Brasília).

As vacinas foram enviadas pelo Unicef de Mumbai para Acra e integram a primeira onda de vacinas anticovid destinadas a vários países de baixa e média renda, explica um comunicado conjunto da OMS e do Unicef.

"Esta entrega representa o começo do que deve ser o maior fornecimento e distribuição de vacinas da história", destaca a nota.

"O dispositivo Covax planeja entregar quase dois bilhões de doses de vacinas anticovid este ano. Este é um esforço global sem precedentes para garantir o aceso às vacinas para todos os cidadãos", acrescenta o texto.

Gana, país do oeste da África, registra oficialmente 80.0759 casos de coronavírus e 582 mortes. Mas analistas apontam uma subnotificação, pois o número de testes realizados continua baixo.

O sistema Covax tem como objetivo proporcionar este ano vacinas anticovid a 20% da população de quase 200 países e territórios participantes. O dispositivo tem um mecanismo de financiamento que permite que 92 economias de baixa e média renda tenham acesso às doses.

- Vacinas adiadas -

O Covax - parceria da OMS, a Aliança para a Vacinação (Gavi) e a Coalizão para Inovações em Preparação para Epidemias (CEPI) - concretizou acordo com os fabricantes de vacinas para dois bilhões de doses em 2021 e tem a possibilidade de comprar mais um bilhão.

Isto inclui 1, bilhão de doses do Serum Institute of India (SII), que produz as vacinas AstraZeneca e Novavax.

Inicialmente, OMS e Gavi acreditavam que poderiam começar a distribuir vacinas aos países desfavorecidos, que se uniram ao Covax em janeiro ou fevereiro, mas o prazo foi adiado.

Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor da OMS, acusou na segunda-feira alguns países ricos de "minar" o dispositivo Covax.

- Segunda onda -

Na sexta-feira passada, os líderes do G7 anunciaram mais que o dobro de seu apoio coletivo à vacinação anticovid, com 7,5 bilhões de dólares, por meio do programa Covax.

Além disso, Estados Unidos e União Europeia dobraram a contribuição a um bilhão de euros, enquanto a Alemanha liberou novos recursos.

Embora alguns países ricos tenham iniciado a vacinação no fim de 2020, muitos países pobres ainda não receberam nenhuma dose, especialmente no continente africano.

A descoberta de novas variantes, na África do Sul e Grã-Bretanha, também acelerou a busca por vacinas.

Desde o início da pandemia, a África permanece oficialmente como um dos continentes menos afetados pelo vírus, mas vários países do continente foram afetados por uma segunda onda, que forçou o retorno de medidas restritivas.

Para ajudar a acelerar a vacinação de 1,3 bilhão de pessoas do continente, a União Africana informou que obteve 270 milhões de doses da vacina contra a covid para distribuir este ano.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade