Publicidade

Estado de Minas TEERÃ

Twitter suspende conta de líder iraniano que ameaçou Trump


22/01/2021 13:14 - atualizado 22/01/2021 13:18

O Twitter suspendeu nesta sexta-feira (22) a conta do guia supremo iraniano, o aiatolá Ali Khamenei, que pediu vingança para o general Qasem Soleiman, assassinado no ano passado no Iraque, e ameaçou o ex-presidente americano Donald Trump, que ordenou sua morte.

O Twitter disse em uma mensagem publicada no mesmo perfil que a conta foi suspensa porque infringe "as regras da rede social".

"A vingança é inevitável. O assassino de Soleimani e quem ordenou sua morte devem sofrer vingança", diz a mensagem, postada em persa na noite de quinta-feira na conta @khamenei_site, que pertence a um site do aiatolá.

A frase é acompanhada por uma montagem de fotos que mostra Trump jogando golfe à beira-mar, enquanto a sombra de um caça é projetada na grama.

Soleimani era o chefe da Força Quds, uma unidade de elite da Guarda Revolucionária, o exército ideológico do Irã, e o arquiteto da estratégia regional da República Islâmica.

Ele foi assassinado em 3 de janeiro de 2020 em Bagdá em um ataque dos Estados Unidos ordenado por Trump, que deixou o cargo na quarta-feira.

Khamenei repetiu em várias ocasiões que a morte de Soleimani seria vingada. Em 1º de janeiro, o chefe da Autoridade Judicial iraniana, Ebrahim Raïssi, declarou que os assassinos do general "não estarão seguros em lugar nenhum do mundo".

Em 9 de janeiro, o Twitter suspendeu uma mensagem postada por uma das contas de Khamenei na rede social em que proibia a importação de vacinas contra o coronavírus fabricadas nos Estados Unidos e no Reino Unido por considerar que não eram confiáveis.

Twitter


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade