Publicidade

Estado de Minas HUNGRIA

Eurodeputado de extrema-direita renuncia após ser pego em orgia gay

A polícia precisou intervir porque o sexo grupal violava a quarentena imposta pelo país em função da pandemia do novo coronavírus


01/12/2020 17:07 - atualizado 01/12/2020 18:28

József Szájer(foto: Redes Sociais/Reprodução)
József Szájer (foto: Redes Sociais/Reprodução)
O eurodeputado de extrema-direita József Szájer, do mesmo partido do primeiro-ministro da Hungria, Vktor Orbán, renunciou do cargo e da atividade política após ser pego pela polícia belga em uma orgia no centro de Bruxelas na última sexta-feira (27). Participavam do sexo grupal 25 homens, entre eles alguns diplomatas.

A polícia precisou intervir porque a orgia violava a quarentena imposta no país em função da pandemia do novo coronavírus.

Por meio de nota, Szájer renunciou ao cargo. Segundo ele, no momento, ele não usava drogas, como foi anunciado pela imprensa. O conservador  é casado desde 1983 com a juíza húngara Tünde Handó, com quem tem uma filha.

"Peço desculpas à minha família, aos meus colegas e aos meus eleitores. Esse passo em falso foi estritamente pessoal, sou o único responsável por isso. Peço a todos que não o estendam à minha pátria ou à minha comunidade política", escreveu.

Viktor Orbán é considerado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) como um dos seus principais aliados na União Europeia.

Eurodeputado desde 2004, Szájer é um dos fundadores do partido Fidesz. Além de ser considerada homofóbico, a legenda defende pautas conservadoras e cheias de preconceito. 

*Estagiária sob supervisão da editora-assistente Vera Schmitz


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade