Publicidade

Estado de Minas

Premiê etíope diz ter líderes de Tigré 'na mira'


30/11/2020 10:42

O primeiro-ministro da Etiópia, Abiy Ahmed, disse nesta segunda-feira (30) que líderes dissidentes da região norte de Tigré fugiram para oeste da capital regional, mas indicou que as forças federais os monitoram de perto e vão "atacá-los" em breve.

"Ontem, por volta da meia-noite, nós os vimos, da sala de comando de operações, na área entre Hagere Selam e Abiy Addi", disse Abiy aos legisladores, referindo-se a duas cidades a oeste da capital de Tigré, Mekele.

"Não os atacamos à noite porque, quando foram embora, levaram com eles suas esposas, filhos e soldados sequestrados", acrescentou.

Ganhador do Prêmio Nobel da Paz no ano passado, Abiy anunciou em 4 de novembro que havia ordenado operações militares contra os líderes do partido governante de Tigré, a Frente de Libertação Popular do Tigré (TPLF), afirmando que eram uma resposta a ataques organizados pela TPLF contra quartéis do Exército federal.

Mais de três semanas de combates deixaram centenas de mortes, enquanto dezenas de milhares de refugiados fugiram para o Sudão.

No domingo à noite, Abiy disse que as operações militares foram "concluídas", depois que as forças federais afirmaram ter o controle da capital regional, Mekele.

Os líderes da TPLF prometeram lutar, enquanto as forças federais estiverem no território do Tigré. Seu paradeiro exato é desconhecido.

À medida que o Exército etíope avançava sobre Mekele na semana passada, crescia a preocupação mundial com um possível banho de sangue em uma cidade que, antes do conflito, tinha uma população de meio milhão de pessoas.

Um apagão de comunicações no Tigré torna difícil verificar, de forma independente, as afirmações de ambos os lados sobre o desenvolvimento dos combates.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade