Publicidade

Estado de Minas

Direita radical tenta ver pandemia como uma 'oportunidade' para atrair novos militantes, segundo estudo alemão


20/11/2020 14:13

A direita radical na Europa e nos Estados Unidos vê a pandemia como uma "oportunidade" que deve ser aproveitada para atrair novos militantes, procedentes dos movimentos anti-vacina e conspiracionistas, segundo um estudo encarregado pelo governo alemão.

O estudo, solicitado pelo governo de Angela Merkel, que preside até o final do ano o conselho da União Europeia, foi realizado na Alemanha, França, Reino Unido, Estados Unidos, Suécia e Finlândia pelo Counter Extremism Project, um grupo de reflexão internacional que reúne especialistas e ex-diplomatas.

Descreve a emergência nesses países de uma nova direita radical "sem líder, transnacional, apocalíptica e orientada para a violência", desde 2014, em torno de temas como uma suposta "grande substituição" das populações europeias por imigrantes de outros continentes.

"As mudanças provocadas pela pandemia reforçam a influência de todos aqueles que, inclusive antes do surgimento do vírus, se consideravam contrários à corrente dominante", resume o estudo, apontando para o grande aumento das trocas online nos fóruns extremistas, especialmente nos períodos de confinamento.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade