Publicidade

Estado de Minas

França retoma confinamento enquanto coronavírus bate recorde de infecções no mundo


28/10/2020 19:43

Diante do avanço incansável do coronavírus na Europa, a França anunciou nesta quarta-feira (28) um retorno ao confinamento de pelo menos um mês e a Alemanha decretou drástico endurecimento de suas medidas sanitárias. Enquanto isso, o mundo registrou um recorde de mais de meio milhão de casos de covid-19 em um único dia.

A covid-19 causou quase 1,2 milhão de mortes em mais de 44 milhões de casos registrados em todo o planeta. Apenas no dia de terça-feira, foram registradas mais de 516 mil novas infecções e 7.723 mortos, segundo um balanço realizado pela AFP nesta quarta.

Na França, onde dois terços dos habitantes já estavam sob toque de recolher noturno, o presidente Emmanuel Macron anunciou a seus cidadãos que a partir de sexta-feira eles deverão voltar a ficar em casa para combater um vírus que está circulando "a uma velocidade que nem até as previsões mais pessimistas haviam estimado".

O confinamento, porém, é menos rigoroso que o de seis meses atrás: escolas, universidades, serviços públicos, fábricas e propriedades agrícolas poderão continuar operando, para limitar o impacto econômico.

A França registrou 527 mortes por covid-19 na terça-feira - totalizando cerca de 36 mil desde o início da epidemia - e mais da metade dos leitos de terapia intensiva já estão ocupados por pacientes com o vírus, reconheceu Macron, números que lembram o pior momento da primeira onda.

O presidente francês chegou a afirmar que, sem medidas drásticas, o país poderia ter até 400 mil mortes adicionais em poucos meses.

- Fechamentos na Alemanha -

Na Alemanha, restaurantes, bares, locais de entretenimento e instituições culturais fecharão por um mês, a partir de segunda-feira. "Devemos agir e é agora", alertou a chanceler Angela Merkel.

Com quase 11 mil mortes, a Alemanha está - como na primavera - melhor que França, Espanha ou Itália. Mas as novas infecções atingiram um recorde, com quase 15 mil em apenas um dia.

Outros países da Europa estão em uma trajetória parecida, como a República Checa, onde um toque de recolher noturno entrará em vigor nesta quarta-feira.

As bolsas de valores entraram em colapso antes mesmo dos anúncios: Frankfurt perdeu 4,2%, Paris, 3,4%. Wall Street seguiu: o índice Dow Jones caiu 3,43% e o Nasdaq 3,73%.

- Cansados da pandemia -

Mas as novas medidas são insuportáveis para muitas pessoas. Na Itália, milhares de pessoas saíram às ruas na segunda-feira à noite, com incidentes violentos em Milão e Turim, as duas grandes cidades do norte do país, afetadas pela crise de saúde na primeira onda da pandemia.

O governo italiano impôs um toque de recolher em várias áreas importantes, com fechamentos de bares e restaurantes às 18H00 e o fechamento total de academias, cinemas e salas de concertos.

Na Espanha, exaustos após uma luta contra o coronavírus por mais de seis meses, vários médicos do serviço público iniciaram na terça-feira uma greve nacional, a primeira em 25 anos, para exigir mais reconhecimento.

A prefeitura de Madri anunciou que usará drones para evitar multidões nos cemitérios no dia 1º de novembro.

O Papa Francisco, por sua vez, anunciou que celebrará a missa de Finados sem os fiéis, por causa da "senhora covid".

Em um esforço para melhorar sua resposta diante da segunda onda, a União Europeia anunciou hoje que destinará 100 milhões de euros (cerca de 117 milhões de dólares) para a compra de testes rápidos de covid-19.

Uma notícia excepcionalmente positiva surgiu na Finlândia: um experimento com cães farejadores, treinados para detectar pessoas infectadas com o novo coronavírus, apresentou resultados promissores, segundo anúncio dos pesquisadores responsáveis pelo projeto na quarta-feira.

Já o Irã anunciou nesta quarta-feira 415 mortos pela covid-19 nas últimas 24 horas, o que representa um novo recorde no país mais afetado do Oriente Médio.

O presidente da Argélia, Abdelmadjid Tebboune, de 74 anos, foi transferido para um hospital na Alemanha para "exames médicos mais amplos", disse um comunicado oficial, depois que foram detectados casos suspeitos de covid-19 em seu entorno.

- Paciência -

Ao contrário da Europa, os comerciantes de Melbourne, sul da Austrália, sentiram um grande alívio nesta quarta-feira com a reabertura de lojas e restaurantes após mais de três meses de confinamento.

Na América Latina, onde o coronavírus atinge com força, a situação também é complicada em vários países. Nesta quarta-feira, dezenas de guatemaltecos pediram a São Simão, um venerado santo popular, proteção contra o coronavírus em cerimônias com flores, velas e licores.

O medo de morrer de covid-19 é tão grande que no México muitas pessoas foram pressionadas a fazerem seu testamento.

Ao mesmo tempo, o planeta aguarda uma vacina e a corrida científica é intensa.

A Rússia pediu à Organização Mundial da Saúde (OMS) a "pré-qualificação" de sua vacina, com a promessa de que será "acessível a todos em um período mais curto que as convencionais".

Ao mesmo tempo, os laboratórios Sanofi e GSK anunciaram que disponibilizarão 200 milhões de doses de vacina ao programa internacional criado pela OMS para ajudar a garantir um acesso equitativo às futuras vacinas contra a covid-19.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade