Publicidade

Estado de Minas

Pelo menos 18 mortos em atentado reivindicado pelo EI em Cabul


24/10/2020 15:55

Pelo menos 18 pessoas morreram e 57 ficaram feridas em um atentado suicida realizado neste sábado (24) contra um centro educativo em Cabul, no Afeganistão, reivindicado pelo grupo Estado Islâmico (EI).

O atentado ocorreu perto de um centro de formação para estudantes, um setor do oeste da capital afegã, declarou Tareq Arian, porta-voz do Ministério do Interior.

"Um homem-bomba que queria entrar no centro educativo foi identificado pelos guardas. Ele então se explodiu no caminho que leva para o centro, antes de poder entrar", detalhou.

Dezoito pessoas morreram e 57 ficaram feridas, afirmou Arian, ao atualizar o balanço de vítimas, que no início eram de 10 mortos e 20 feridos.

O homem-bomba "se dirigiu a uma reunião... em Cabul, onde detonou sua jaqueta de explosivos" no meio da multidão, disse o EI em um comunicado publicado em seus canais de redes sociais.

O talibã, através de seu porta-voz, Zabihullah Mudjahid, afirmaram em um tuíte não ter "qualquer relação" com o atentado.

Um vídeo feito no lugar do ataque e divulgado nas redes sociais mostra vários cadáveres cobertos com mantas em uma rua de terra batida, enquanto os feridos são transportados pra fora do lugar.

Um funcionário do centro confirmou que a explosão havia ocorrido no estacionamento do local.

"Estava a 100 metros do centro quando uma explosão me tirou do chão. Havia poeira e fumaça ao meu redor", contou Ali Reza à AFP, um vizinho de bairro, que garantiu que "todas as vítimas são estudantes que esperavam para entrar no estabelecimento".

O oeste de Cabul é principalmente povoado pelos hazaras, uma etnia quase exclusivamente chiita, que é regularmente atacada pelo grupo Estado Islâmico.

Em meados de maio, homens armados atacaram um hospital da região, matando 18 pessoas, entre elas mulheres grávidas e enfermeiras. O assalto não foi reivindicado.

O Afeganistão registra um aumento da violência, enquanto que os talibãs e o governo iniciaram em setembro conversas em Doha para por fim a décadas de guerra, por hora sem grandes avanços.

Mas, no início do dia, nove pessoas morreram pela explosão de uma bomba em um ponto de ônibus no leste do país, segundo funcionários locais que acusaram os talibãs.

Na sexta-feira (24), a Anistia Internacional relatou pelo menos 50 mortes em vários ataques na semana anterior, acusando Cabul e os insurgentes de não proteger suficientemente os civis.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade