Publicidade

Estado de Minas

Liga dos Campeões volta, com público e sob ameaça de saúde


19/10/2020 20:31

Dois meses após o encerramento da última edição em Lisboa, a nova Liga dos Campeões começa nesta terça-feira com um calendário intenso para a fase de grupos, comprimida entre outubro e dezembro, e o retorno de espectadores aos estádios, com capacidade limitada devido à pandemia de covid-19.

Será em Istambul, cidade turca que deveria ter sediado na temporada passada o encerramento do torneio continental, a disputa da final em 29 de maio de 2021, exceto por novas alterações.

Os candidatos são, como sempre, numerosos entre os 32 times participantes: o atual campeão Bayern de Munique, Liverpool e Real Madrid, o vice-campeão PSG ou também os pesos pesados espanhóis, Barcelona e Atlético de Madrid, ingleses, Manchester City, Manchester United e Chelsea, e italianos,Juventus e Inter.

Mas desta vez o caminho deverá ser ainda mais difícil: a jornada para a final começa na terça e quarta-feira com grandes jogos de abertura (PSG-United e Bayern-Atlético, principalmente), uma primeira rodada atrasada mais de um mês em relação ao calendário normal devido à pandemia do coronavírus.

É o resultado de uma edição 2019-2020 virada de pernas para o ar pela doença e que terminou no final de agosto passado, numa decisão de torneio a portas fechadas em Lisboa.

Apesar de normalmente ser disputada entre setembro e dezembro, a fase de grupos 2020-2021 está condensada em apenas 50 dias, com seis rodadas que serão realizadas até 9 de dezembro, ou seja, partidas todas as semanas com exceção do intervalo para os jogos das seleções nacionais, em novembro.

- Não haverá fase final numa cidade-sede -

Embora o coronavírus tenha atingido os jogadores (como no caso do atacante português Cristiano Ronaldo) e ameace a realização dos duelos, a Uefa afirma estar convencida de que "a temporada pode ser jogada na íntegra, com o formato atual e com a final em Istambul".

A entidade que comanda o futebol europeu não prevê, até o momento, uma fase final ('Final 8') como a improvisada em agosto em Lisboa (Portugal) reunindo os times que passaram às quartas de final.

No entanto, cabe à Uefa decidir mais tarde "os princípios que regem a classificação dos clubes para os oitavas", caso a fase de grupos não possa ser concluída antes de 28 de Janeiro de 2021.

Depois de ter estabelecido no meio deste ano um protocolo sanitário e médico preciso para determinar o ritmo dos testes de PCR que devem ser realizados pelas delegações de cada clube, a organização europeia de futebol teve de acrescentar ao seu regulamento um leque de hipóteses ligadas à pandemia .

Desta forma, se um time não conseguir relacionar "no mínimo 13 jogadores", incluindo um goleiro, devido à contaminação por coronavírus ou quarentena, o confronto deverá ser remarcado.

Mas se não houver uma data possível para a realização desse embate antes do final da fase de grupos, o clube em dificuldades será penalizado com uma derrota por 3-0.

- Regreso do público -

Outro cenário: em caso de restrições por parte das autoridades nacionais, sejam elas fechamento de fronteiras ou medidas de quarentena, o clube local terá de oferecer "um estádio de substituição adequado".

A nova arena deverá ser em país neutro, "dando a maior prioridade possível aos países que possuem equipes na Liga dos Campeões e cujos estádios já estão preparados", afirmou a Uefa.

Polônia, Hungria, Grécia e Chipre ofereceram em agosto seus estádios, bem como a criação de "corredores de deslocamento" para a realização destes confrontos sem restrições, tanto para a Liga dos Campeões como para a Liga Europa, que começa na quinta-feira.

No momento, todas as partidas estão agendadas em seus respectivos estádios, o que deve permitir o retorno do público em algumas arenas.

A Uefa anunciou um regresso progressivo de espectadores em todas as suas competições. Até 30% da capacidade de cada estádio pode ser ocupada, embora o limite máximo efetivo normalmente seja menor, dependendo das restrições locais.

Assim, a partida entre PSG e Manchester United será disputado sem público devido às medidas impostas pelas autoridades francesas, mas haverá, por exemplo, 5.000 torcedores no estádio do Rennes para a grande estreia da equipe no torneio europeu, enfrentando o Krasnodar. O início de uma longa viagem até Istambul.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade