Publicidade

Estado de Minas

Senadores dos EUA pedem à Netflix que não adapte livro de autor chinês Liu Cixin


25/09/2020 23:07

Cinco senadores republicanos dos Estados Unidos pediram à Netflix que reconsidere a decisão de adaptar para as telas o livro de sucesso "O Problema Dos Três Corpos", do autor chinês Liou Cixin, argumentando que o escritor propaga a "perigosa propaganda" do Partido Comunista.

A senadora Marsha Blackurn afirmou que o pedido se baseia em comentários do autor em uma entrevista à revista The New Yorker, publicada em junho.

Ao ser questionado sobre o destino da minoria muçulmana uigur, alvo de detenções em massa em campos de concentração na China, Liu Cixin defendeu as autoridades chinesas.

"Você preferiria que [os uigures] estivessem mutilando corpos em estações de trem e escolas em ataques terroristas?", respondeu Liu.

"De qualquer maneira, o governo está ajudando sua economia e tentando tirá-los da pobreza", completou Liu ao The New Yorker, que descreve o escritor como um "não dissidente" em seu perfil.

Em carta ao chefe de conteúdo da Netflix, Ted Sarandos, os senadores acusaram Liu de "repetir como um mantra a perigosa propaganda" do Partido Comunista. Os políticos afirmam que a empresa americana está "proporcionando uma plataforma para Liu produzir este projeto".

"Pedimos à Netflix que reconsidere seriamente" a decisão, continuou o texto.

Contactada pela AFP, a Netflix não quis comentar o caso.]

O projeto de adaptação para um série de televisão da trilogia de ficção científica "O Problema Dos Três Corpos", anunciada neste mês, promete ser muito ambicioso.

A plataforma de vídeos associou ao projeto os criadores da série "Games of Thrones", David Benioff e D.B. Weiss, para a criação do roteiro. O diretor de "Guerra nas Estrelas: O Último Jedi", Rian Johnson, será o produtor executivo da série, assim como a empresa de entretenimento Plan B, de Brad Pitt.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade