Publicidade

Estado de Minas

Índia supera 5 milhões de casos de covid-19


16/09/2020 07:30

A pandemia do novo coronavírus continua com uma propagação em ritmo vertiginoso na Índia, que superou nesta quarta-feira a marca de cinco milhões de casos da doença.

O segundo país mais populoso do mundo, que registrou um milhão de novos casos de covid-19 em apenas 11 dias, registra até o momento 5,02 milhões de contágios, de acordo com o ministério da Saúde.

O país está atrás apenas dos Estados Unidos, onde foram detectadas 6,59 milhões de infecções.

Nesta quarta-feira foram registrados mais de 90.000 novos casos e 1.290 mortes, um recorde no país.

A Índia, com 1,3 bilhão de habitantes, organiza quase um milhão testes de diagnóstico por dia, número que muitos especialistas consideram insuficiente.

Os cientistas afirmam que o número real de infecções pode ser muito maior, uma hipótese confirmada pelos estudos feitos nas últimas semanas, que mediram os anticorpos contra o vírus nos habitantes de Nova Delhi e Mumbai.

O Conselho Indiano de Pesquisa Médica, que coordena a resposta do governo à crise, considerou na semana passada que sua pesquisa permitia pressupor que em maio o país tinha 6,5 milhões de pessoas infectadas pelo novo coronavírus.

O número total de mortes alcançou nesta quarta-feira 82.066 - menos da metade dos 195.000 óbitos registrados nos Estados Unidos -, mas na realidade muitos falecimentos não são registrados de maneira correta pelas autoridades.

A Índia possui um dos sistemas de saúde pública mais pobres do mundo.

O aumento de casos acontece apesar de o governo ter adotado, em março, um dos confinamentos mais rígidos do planeta, para tentar conter a propagação da doença no país, que tem cidades densamente habitadas.

As autoridades proibiram os deslocamentos e fecharam comércios e fábricas. De um dia para outro, dezenas de milhões ficaram sem emprego.

Os trabalhadores migrantes abandonaram as grandes metrópoles e retornaram para suas localidades.

Os cientistas acreditam que isto resultou na propagação do vírus dos centros urbanos para as cidades pequenas do país.

"No início, um certo rigor foi respeitado durante o confinamento, mas depois aconteceu uma flexibilização antes do fim completo", declarou à AFP K. Srinath Reddy, diretor da Fundação Indiana para a Saúde Pública, uma organização não governamental.

O confinamento foi reduzido progressivamente, apesar do aumento dos casos.

Algumas aulas serão retomadas na segunda-feira. O Taj Mahal, principal monumento turístico da Índia, também reabrirá as portas na próxima semana.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade