Publicidade

Estado de Minas

Apple bloqueia acesso do Fortnite a ferramenta de desenvolvimento de jogos


28/08/2020 21:30

A Apple anunciou nesta sexta-feira (28) sua decisão de bloquear o acesso do criador do Fortnite às ferramentas necessárias para atualizar seus jogos nos dispositivos móveis da gigante de tecnologia dos Estados Unidos.

A suspensão da Epic Games do programa de desenvolvedores do sistema operacional iOS ocorre dias depois que um tribunal dos EUA rejeitou o pedido do editor de jogos para devolver seu produto Fortnite à App Store da Apple.

A editora "parece ter se colocado nesta situação difícil", disse a juíza Yvonne González Rogers, porque a Epic violou os termos do contrato com a Apple.

A exclusão do Fortnite da loja online é uma resposta a uma atualização na qual a Epic instalou um sistema para evitar o pagamento de comissões à Apple.

A Epic realizou manobra idêntica na versão para sistemas Android, que também foi penalizada pelo Google, que retirou o jogo de sua Play Store.

"Estamos desapontados por termos que encerrar a conta da Epic Games na App Store. Trabalhamos com sua equipe por vários anos em lançamentos e publicações", disse a Apple à AFP.

A decisão contra a Epic Games ocorre em meio a uma batalha sobre se o rígido controle que a Apple exerce sobre a App Store, onde cobra cerca de 30% da receita dos produtos, é considerado um comportamento monopolista.

A Apple é frequentemente acusada de comportamento monopolista, pois é a única que define os termos da única plataforma utilizada para acessar os usuários dos produtos da marca.

A empresa americana se defende explicando que o percentual, que estaria dentro da média em relação a outras lojas, é usado para proteger os aplicativos e seus usuários de hackers e golpes.

A Epic Games, por sua vez, diz que intervém nesta disputa "por princípios", em nome da liberdade dos desenvolvedores e dos jogadores.

"A Apple impõe restrições irracionais e ilegais para monopolizar os dois mercados", disse o desenvolvedor em sua ação apresentada em meados de agosto, onde classifica a comissão de 30% como um "imposto tirânico".


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade