Publicidade

Estado de Minas

Alemanha aponta para envenenamento de Navalny e pressiona Rússia


24/08/2020 19:01

A Alemanha concluiu nesta segunda-feira (24) que o líder da oposição russa Alexei Navalny foi envenenado e pediu que a Rússia leve os responsáveis à justiça, em um momento em que o caso se inclina cada vez mais rumo a um litígio diplomático entre Berlim e Moscou.

Apesar da negação das autoridades russas, a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, afirmou que os resultados dos testes realizados por especialistas e anunciados mais cedo "apontam para um envenenamento".

"As autoridades na Rússia são chamadas urgentemente para resolver este caso até o mínimo detalhe e com toda a transparência", pediu em comunicado com seu ministro das Relações Exteriores, Heiko Maas.

Ambos pediram que os responsáveis "sejam levados à justiça" para responder por seus atos.

A tomada de posição alemã acontece pouco depois do Hospital la Charité, de Berlim, onde Navalny foi admitido no sábado, declarar que havia encontrado "sinais de envenenamento" no organismo do opositor do Kremlin.

O chefe da diplomacia da União Europeia, Josep Borrell, pediu a Moscou a realização de uma "investigação independente e transparente".

"A UE condena com firmeza o que parece ser um ataque à vida de Navalny, declarou. "O povo russo e a comunidade internacional pedem que se esclareçam os fatos. Os responsáveis precisam prestar contas", completou.

- Novichok -

"Os resultados clínicos indicam intoxicação por uma substância do grupo de inibidores da colinesterase", apontou o Hospital Charité em um comunicado.

Esta enzima pode ser usada, em doses baixas, para combater o mar de Alzheimer, mas, em altas doses, pode ser muito perigosa e se tornar um potente agente neurotóxico.

Em março de 2018, o ex-agente duplo russo Serguei Skripal e sua filha, Yulia, foram envenenados no Reino Unido, segundo Londres, com a mesma substância, de concepção soviética.

Nesta segunda-feira, os médicos russos que trataram Navalny durante sua hospitalização na Sibéria antes de ser transferido a Berlim, informaram não ter encontrado inibidores de colinesterase no organismo do opositor.

"Durante sua admissão no hospital, Alexei Navalny foi submetido a testes, inclusive para inibidores de colinesterase. Os resultados foram negativos", declarou à imprensa russa Alexandre Savayev, toxicólogo chefe do hospital de Omsk.

De acordo com os médicos alemães, Navalny poderá sofrer sequelas no sistema nervoso a longo prazo.

Navalny, um advogado de 44 anos tornou-se o principal opositor do Kremlin, e suas publicações sobre a corrupção das elites russas recebem bastante visualizações nas redes sociais.

O opositor "encontra-se em uma unidade de cuidados intensivos e ainda está em coma induzido", ressaltou o hospital, "seu estado de saúde é grave, mas atualmente não há risco" de morte. Os médicos alemães examinaram o paciente "profundamente".

Navalny entrou em coma após passar mal na última quinta-feira, a bordo de um avião.

- 'Intencional' -

A equipe do ativista mantêm o posicionamento de que ele foi vítima de um "envenenamento intencional".

"Agora, nossas afirmações foram confirmadas pelas análises de laboratórios independentes. O envenenamento de Alexei já não é uma hipótese, mas sim um fato", reagiu no Twitter a porta-voz de Navalny, Kira Yarmish.

Navalny foi transferido no sábado da Sibéria até Berlim em um jato privado fretado por uma ONG alemã, após um dia de uma intensa queda de braço entra a família do opositor e os médicos russos, que eram contra a viagem por acreditar que sua condição era instável demais, mas que finalmente autorizaram a transferência.

Os médicos russos do hospital de Omsk, na Sibéria, onde Navalny permaneceu internado antes de ser transferido para a Alemanha após árduas discussões, afirmaram nesta segunda-feira que não sofreram nenhuma pressão externa ou interferência oficial.

Anatoli Kalinishenko, outro diretor do hospital de Omsk, afirmou que, de acordo com dois laboratórios, em Omsk e Moscou, "nenhuma substância que pode ser considerada como veneno (...) foi identificada" no organismo de Navalny.

A equipe do ativista suspeita que o atraso na autorização de transferência deu tempo para a dissolução da possível substância tóxica, o que impediria sua detecção.

"Há alguns exemplos (de envenenamento) na história recente da Rússia, e o mundo leva muito a sério essa suspeita", ressaltou o porta-voz Seibert.

Navalny já foi vítima de vários ataques físicos. Em 2017, o opositor foi pulverizado nos olhos com um produto anti-séptico ao sair do seu escritório em Moscou.

E em julho de 2019, enquanto cumpria uma curta pena na prisão, repentinamente sofreu uma erupção cutânea no torso e relatou que havia sido envenenado. As autoridades explicaram que ele teve "uma reação alérgica".


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade