Publicidade

Estado de Minas

Fortnite processa Apple por restrições ao uso de aplicativo


13/08/2020 21:37

A Epic Games, desenvolvedora do videogame de sucesso "Fortnite", processou nesta quinta-feira (13) a Apple pela forma como rege sua loja de aplicativos, acusando a gigante da tecnologia de exercer um poder monopolístico.

A Epic Games pediu a um juiz federal que ordene a Apple a suspender sua "conduta anticompetitiva" e invalide as regras que requerem que os desenvolvedores paguem à criadora do Iphone 30% do valor de todas as transições para poderem fazer negócio na App Store.

O processo foi apresentado no mesmo dia em que a Apple retirou o Fortnite de seu mercado de vendas, após a Epic incluir no jogo um sistema de pagamento que permitia que as transações dos jogadores evitassem o mecanismo da App store.

"A Apple se tornou o que um dia criticou: o gigante que busca controlar os mercados, bloquear a competição e reprimir a inovação", argumentou a defesa da Epic.

A empresa fundada pelo falecido Steve Jobs é foco nos últimos meses de diversas críticas pelo forte controle que exerce em sua loja virtual de aplicativos, que é a única forma de adquirir os 'apps' nos telefones Iphone e nos tablets Ipad.

A gigante do Vale do Silício defende que sua posição é necessária para manter os aplicativos e seus usuários a salvo de hackers e golpistas, afirmando que cobrar 30% de tarifa nas transações é um valor legítimo para cuida da loja.

A Epic afirma não buscar dinheiro ou um tratamento especial, e que somente pede ao tribunal que ordene a mudança da regra na loja da Apple para todos os desenvolvedores.

Fortnite foi jogado por cerca de 350 milhões de pessoas no mundo todo desde seu lançamento em 2017, com jogadores que devem sobreviver buscando armas e recursos enquanto tentam eliminar adversários em um mundo virtual.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade