Publicidade

Estado de Minas

Governo britânico propõe ajuda a empresas norte-irlandesas após Brexit


06/08/2020 20:55

O governo britânico anunciou nesta sexta-feira (6) que colocará à disposição das empresas sediadas na província da Irlanda do Norte um serviço gratuito para lidar com a burocracia necessária para importações da Europa, após o término do período de transição do Brexit.

"Trata-se de um serviço único que permitirá às empresas de qualquer tamanho lidar, em seu nome e sem custos, com as gestões relacionadas à importação", declarou em comunicado o ministro para a Irlanda do Norte, Brandon Lewis.

O sistema de ajuda, que será lançado em setembro após uma licitação pública em agosto, permitirá às empresas evitar a complexidade do sistema fiscal britânico ao fim do período de transição do Brexit.

O Reino Unido se retirou oficialmente da União Europeia (UE) em janeiro, mas seus intercâmbios comerciais seguem regidos até 31 de dezembro pela legislação continental, enquanto as duas partes concluem um novo acordo comercial.

Londres já havia revelado em julho suas primeiras propostas sobre a gestão de suas fronteiras após o Brexit, garantindo que serão aplicadas independentemente de um acordo com Bruxelas.

O projeto prevê, entre outras coisas, uma aplicação gradual da lei de fronteiras durante os seis primeiros meses de 2021 e o primeiro plano apresentará propostas para o desenvolvimento dos intercâmbios entre Irlanda do Norte, o restante do Reino Unido e a Repúblico da Irlanda, país vizinho da província britânica que ainda faz parte da UE.

O governo anunciou o desbloqueio de 222 milhões de euros para o financiamento do sistema de ajuda às empresas norte-irlandesas, que terão um status particular, assim como 170 milhões de euros mais para o desenvolvimento de uma tecnologia que permita a digitalização de todo o processo.

Outros 332 milhões de euros serão destinados a um programa de apoio a "projetos de paz, de prosperidade e de reconciliação" na província, marcada por três décadas de conflitos que causaram 3.500 mortes.

O conflito entre republicanos católicos, partidários da reunificação da Irlanda, e os unionistas protestantes, que queriam manter a província sob o controle da Coroa britânica, terminou em 1998 com os acordos de paz da Sexta-Feira Santa.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade