Publicidade

Estado de Minas FECHAMENTO DA FRONTEIRA

Após noite de distúrbios, Paraguai cede e autoriza reabertura na Cidade do Leste

Governo paraguaio aceitou seguir com flexibilização do comércio, mas afirmou que fechará totalmente a fronteira


30/07/2020 16:26 - atualizado 30/07/2020 17:49

População saiu às ruas de Cidade do Leste, na fronteira entre Paraguai, Brasil e Argentina(foto: Norberto Duarte/AFP)
População saiu às ruas de Cidade do Leste, na fronteira entre Paraguai, Brasil e Argentina (foto: Norberto Duarte/AFP)
O governo do Paraguai autorizou a atividade comercial na Cidade do Leste, na tríplice fronteira com Brasil e Argentina, após uma noite de distúrbios devido ao anúncio do retorno à fase mais restritiva do confinamento pela pandemia de COVID-19.


"O maior número de comércios e negócios poderá abrir com algumas exceções, o que nos permitirá ter a possibilidade de que os trabalhadores levem seu sustento para casa", anunciou nesta quinta-feira o governador da região fronteiriça, Roberto González, em coletiva de imprensa.


No entanto,"haverá um fechamento total e firme da fronteira, exceto para casos humanitários", afirmou o ministro do Interior, Euclides Acevedo.


Manifestações espontâneas motivadas pelo anúncio das autoridades de saúde de voltar à fase inicial da quarentena na Cidade do Leste deixaram, na quarta-feira, cerca de vinte feridos, entre eles cinco militares que monitoravam a Ponte da Amizade, que liga o Paraguai ao Brasil sobre o rio Paraná.


O ministro da Saúde, Julio Mazzoleni, alertou que a região fronteiriça com o Brasil "é uma área de circulação sustentada do vírus" e ressaltou que 40% dos casos do país correspondem à Cidade do Leste.


As restrições se aplicarão aos restaurantes, academias e locais de entretenimento, entre outros.


Até esta quarta-feira, o relatório de infectados no Paraguai foi de 4.866 casos e 46 mortos.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade