Publicidade

Estado de Minas CASA BRANCA

Obama sobre eleições nos EUA: 'Há pessoas no poder atacando nossos direitos de voto'

Afirmação, feita durante os funerais de John Lewis, veio após o presidente Donald Trump defender o adiamento das eleições presidenciais


30/07/2020 15:50 - atualizado 30/07/2020 16:33

Em seu discurso, Obama falou sobre as eleições e o movimento Black Lives Matter(foto: CNN Internacional/Reprodução)
Em seu discurso, Obama falou sobre as eleições e o movimento Black Lives Matter (foto: CNN Internacional/Reprodução)
O ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama participou nesta quinta-feira (30) do funeral do deputado John Lewis, um dos maiores líderes do movimento antirracista nos EUA. O parlamentar morreu de câncer no pâncreas, aos 80 anos, no último dia 15. Em seu discurso, Obama falou sobre as eleições e o movimento Black Lives Matter.
 
"É uma grande honra estar de volta à Igreja Batista Ebenezer, no púlpito de seu maior pastor, dr. Martin Luther King Jr., para prestar meus respeitos ao, talvez, seu melhor discípulo", começou o ex-presidente. 

Ao falar sobre o amigo, Obama afirmou que Lewis tinha “forte visão de liberdade".

O ex-presidente citou a carreira de John Lewis e explicou que ele e muitos americanos têm uma “dívida com o parlamentar”, que lutou até os últimos dias pelos direitos de negros e negras no país. "Até o seu último dia na Terra, ele não apenas abraçou essa responsabilidade, mas fez disso o trabalho de sua vida", afirmou.

Ao falar sobre a luta antirracista, Obama aproveitou a oportunidade  para aumentar a conscientização contra os esforços em andamento para reprimir a votação nos EUA nas vésperas de uma eleição presidencial. Na manhã desta quinta, o presidente Donald Trump falou sobre adiar as eleições por fraude. 

“Mesmo no momento em que nos sentamos aqui, há pessoas no poder que estão se esforçando ao máximo para desencorajar as pessoas a votar, fechando os locais de votação e visando minorias e estudantes com leis restritivas de identidade e atacando nossos direitos de voto com precisão cirúrgica, prejudicando até mesmo o serviço postal no país", disse Obama.

O ex-presidente citou também a perseverança do deputado John Lewis na luta por direitos e liberdade civis. Ele pediu ao país que esteja "vigilante contra as correntes mais sombrias" da história dos EUA. "Hoje, testemunhamos com nossos próprios olhos, policiais ajoelhados no pescoço dos negros americanos. George Floyd pode ter ido embora, mas podemos testemunhar nosso governo federal enviando agentes para usar gás lacrimogêneo e cassetetes contra manifestantes pacíficos", discursou.

Obama falou ainda que os americanos devem “continuar marchando para melhorar ainda mais o país".

Ao finalizar, revelou que conversou com Lewis após a morte de George Floyd. "Eu disse para ele que todos aqueles jovens, de todas as raças e religiões, de todas as origens, gêneros e orientações sexuais, eram seus filhos. Eles aprenderam com seu exemplo. Mesmo que nem sempre soubessem disso."
 
*Estagiária sob supervisão da editora-assistente Vera Schmitz


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade