Publicidade

Estado de Minas

Começa recontagem de votos de legislativas na Síria


21/07/2020 12:25

A recontagem dos votos das eleições parlamentares de domingo na Síria começou, nesta terça-feira (21), após nova votação em cinco colégios eleitorais, o que atrasou os resultados do pleito para renovar a hegemonia do partido do presidente Bashar al-Assad.

Na segunda-feira, uma nova votação foi realizada em quatro centros de votação na província de Aleppo e um na província de Deir Ezzor, no leste, informou a agência de notícias oficial SANA.

A nova votação foi ordenada pela comissão eleitoral, após suspeitas de diferenças entre o número de votos expressos e o número de eleitores registrados.

Repetições de votação não são incomuns na Síria, onde os resultados levaram quatro dias para serem publicados nas últimas eleições legislativas, que ocorreram em 2016.

As eleições ocorrem em um momento crítico para o governo de Damasco, que reconquistou grande parte do território perdido no início da guerra do país, mas que agora enfrenta grandes desafios econômicos.

Mais de 7.000 assembleias de voto foram abertas em várias partes da Síria, controladas pelo governo, inclusive pela primeira vez em antigos redutos da oposição, na terceira eleição desde o início da guerra, há nove anos.

Milhões de sírios que fugiram do conflito não puderam votar.

Muitas listas foram permitidas em todo o país, mas, sem oposição real, o partido Baath do presidente Bashar al-Assad e seus aliados devem obter com facilidade a maioria dos 250 assentos parlamentares.

"O partido Baath - liderado pelo presidente Bashar al Asad - conquistará a maioria dos assentos", disse Edward Dehnert, analista da unidade de inteligência do The Economist.

"O restante será dividido entre os partidos aliados na frente nacional progressista e os independentes, incluindo grandes figuras do mundo dos negócios", acrescentou.

As eleições foram adiadas duas vezes desde abril devido à pandemia de coronavírus, que infectou 552 pessoas e matou 29 em áreas sob controle do governo, segundo dados oficiais.

As imagens dos candidatos estão em exibição na capital há semanas, com os 1.658 candidatos, incluindo vários empresários.

Muitos candidatos prometem combater a inflação e melhorar as infraestruturas, devastadas pelo conflito.

As próximas eleições presidenciais são esperadas para 2021 e os candidatos em potencial precisarão de aprovação por escrito de pelo menos 35 membros do parlamento.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade