Publicidade

Estado de Minas

Ex-namorada de Jeffrey Epstein se declara inocente de tráfico sexual de menores


postado em 14/07/2020 18:26

A britânica Ghislaine Maxwell, 58, declarou-se inocente, nesta terça-feira, de tráfico sexual de menores para satisfazer os desejos sexuais de seu ex-namorado, o financista já falecido Jeffrey Epstein, e deverá aguardar seu julgamento na prisão.

Ghislaine declarou-se inocente em relação a seis acusações vinculadas a crimes cometidos por Epstein, que se suicidou em agosto passado, numa prisão de Nova York onde aguardava julgamento, após ser acusado de tráfico sexual de menores em julho de 2019.

A acusada compareceu a uma corte federal de Manhattan via videoconferência a partir da prisão de segurança máxima do Brooklyn onde ela está detida desde o último dia 2.

Os promotores acusam Ghislaine, filha do magnata falecido da imprensa britânica Robert Maxwell, de ajudar Epstein a "recrutar, preparar e abusar" de menores de idade entre 1994 e 1997. Ela se tornava amiga das jovens e depois as convencia a fazer massagens eróticas em Epstein, durante as quais havia ato sexual.

Segundo os promotores, Ghislaine às vezes participava dos supostos abusos, ocorridos nas mansões de Epstein em Palm Beach, Manhattan ou Novo México. Se for considerada culpada, ela pode pegar até 35 anos de prisão.

- 'Predadora sexual' -

A juíza federal de Manhattan Alison Nathan marcou para julho de 2021 o início do julgamento de Ghislaine, após rejeitar seu pedido de fiança. Promotores de Nova York haviam solicitado à juíza que rejeitasse hoje o pedido da ré, de 5 milhões de dólares em troca da prisão domicilar, porque a mesma apresentaria um risco extremo de fuga.

A suposta vítima Annie Farmer participou da audiência e classificou Ghislaine como uma "predadora sexual", ao pedir que a fiança da mesma fosse negada.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade