Publicidade

Estado de Minas MENSAGENS À FRENTE

Vídeo: como a maior metrópole do mundo controlou a COVID-19

O fotógrafo Charles Torres conta como está a vida em meio a pandemia na maior metrópole do mundo, no quarto episódio da série em vídeo Mensagens à frente


postado em 06/07/2020 19:05

Você precisa sair de casa. Abre a porta e encontra pouquíssimas pessoas na rua - todas mantendo o distanciamento social e usando máscaras. Lojas mantêm os protocolos de segurança, os meios de transporte público seguem as orientações governamentais e o número de casos na sua cidade não chega a 100. Não se ouve falar de morte todo dia. A situação da COVID-19 está bem controlada. 

Pode parecer um sonho, mas essa cidade existe.

Tóquio, capital do Japão, maior metrópole do mundo, com 40 milhões de habitantes, acumula 6.867 casos do novo coronavírus e 325 mortes.

Comparando os números da COVID-19 com a cidade de São Paulo, que tem 12 milhões de habitantes e superou 170 mil casos e 7 mil mortes, a taxa de infeção da cidade japonesa é bem mais baixa. Em Tóquio, a cada 100 mil mil habitantes, 18 contraíram o coronavírus; em São Paulo, são 1.398 infectados a cada 100 mil habitantes.=

Nesse episódio do Mensagens à frente, o brasileiro Charles Torres, fotógrafo e jornalista baseado em Tóquio, mostra que hábitos milenares como evitar entrar em casa com sapatos reduziram número de infectados na capital.

Veja o relato completo:

“Japonês tem hábitos milenares que fazem com que o vírus não se dissemine muito aqui no Japão. Por exemplo: japoneses não entram de sapatos em casa. É muito comum o vírus se espalhar dentro de casa, pelo simples fato de você manter os sapatos (que usou na rua).

E uma outra coisas que os japoneses têm costume é usar máscara. Eles têm o hábito de usar máscaras quando estão gripados. 

Você vai para seu trabalho, você espirrou ou tossiu, se sentiu indisposto mas ainda assim foi trabalhar e se porventura estiver gripado, vai acabar espalhando sua gripe para outras pessoas. E no Japão, quando as pessoas estão gripadas, ou com alguma virose, os japoneses têm por hábito de utilizar a máscara para não disseminar o que eles têm.

Além disso, o governo tem adotado fortes medidas preventivas para o vírus não se espalhar. Aqui, não houve um lockdown, houve uma sugestão por parte do governo; de as pessoas permanecerem em casa, de as empresas mandarem os trabalhadores para casa. E isso foi acatado. 

Japonês é muito obediente, principalmente quanto a desastres naturais. Já estão acostumados a terremotos, tufões que passam aqui com certa frequência, principalmente nessa época de verão.

Quando o governo determinou que todos precisariam ficar dentro de casa para o vírus não se espalhar, todos ficaram dentro de casa, não se via uma alma viva na rua. Nessa região que é movimentada, não tinha ninguém passando. E isso fez com que o número de casos aqui ficasse muito baixo. 

Há três fins de semanas, o número chegou a dois casos em Tóquio. É a maior metrópole do mundo, com 40 milhões de habitantes, e foram apenas dois casos. Em função disso, o governo resolveu afrouxar as medidas de isolamento e resolveu abrir as fronteiras para outros países. Com isso, infelizmente, o número de casos voltou a subir. Ontem, 29/6, foram 58 novos casos, o que ainda é muito baixo, comparado com Brasil, mas aqui pro Japão é alarmante. Todos estão com medo de ir pra rua, com medo de sair de casa. 

Mas de um modo geral, o país está lidando bem com a pandemia, apesar de a economia estar um pouco dilacerada. Mas o vírus aqui está bem controlado, não tem notícias de mortes todos os dias, como acontece no Brasil. De um modo geral, a situação está bem tranquila e favorável. 

Mas vamos ver quais serão as cenas dos próximos capítulos.

(*) Estagiário sob a supervisão do subeditor Fred Bottrel


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade