Publicidade

Estado de Minas

Talibãs negam terem recebido dinheiro da Rússia para atacar soldados dos EUA


postado em 27/06/2020 14:01

Os talibãs negaram, neste sábado (27), informações veiculadas por jornais americanos de que seus combatentes receberam recompensas da Rússia para matarem tropas dos Estados Unidos estacionadas no Afeganistão.

De acordo com o jornal "The New York Times", os serviços de Inteligência dos EUA estão convencidos de que Moscou ofereceu recompensas a milicianos próximos aos talibãs para matarem soldados ocidentais no Afeganistão, enquanto a campanha do presidente Donald Trump para a retirada de tropas continua.

"Os 19 anos de luta do Emirado Islâmico não têm dívidas com qualquer agência de Inteligência, ou país estrangeiro", disseram os talibãs em um comunicado divulgado neste sábado, em Cabul.

O grupo também rejeitou outras alegações de Washington, segundo as quais os talibãs teriam recebido armas do governo russo. Mais cedo, neste sábado, a Rússia também negou as informações divulgadas pelo NYT.

"Essas alegações infundadas e anônimas de que Moscou está por trás da morte de soldados americanos no Afeganistão já levaram a ameaças diretas à vida de funcionários de embaixadas russas em Washington e Londres", criticou a embaixada russa nos Estados Unidos, via Twitter.

Em outra mensagem, a missão diplomática pediu ao jornal "New York Times" que "pare de fabricar informações falsas" e pediu às autoridades americanas "que tomem medidas efetivas" para garantir a segurança de seus funcionários.

De acordo com autoridades anônimas citadas pelo jornal, uma unidade de Inteligência militar russa distribuiu, discretamente, dinheiro a combatentes islâmicos, ou a criminosos armados ligados aos talibãs, para matarem soldados americanos, ou da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), no Afeganistão.

Os Estados Unidos e os talibãs assinaram um acordo, em 29 de fevereiro deste ano, que prevê a retirada gradual e total das forças americanas, assim como negociações de paz entre os insurgentes e o governo de Cabul.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade