Publicidade

Estado de Minas

Trump elogia AMLO e diz que o receberá 'muito em breve' na Casa Branca


postado em 23/06/2020 22:07

O presidente americano, Donald Trump, elogiou nesta terça-feira (23) seu colega mexicano, Andrés Manuel López Obrador, e disse que espera recebê-lo "muito em breve" na Casa Branca.

"Implementamos acordos inovadores com o México. Quero agradecer o presidente do México. Realmente é um grande sujeito, acho que virá a Washington muito em breve, à Casa Branca", disse Trump durante uma mesa redonda sobre segurança fronteiriça em Yuma, Arizona.

Trump e López Obrador, conhecido como AMLO pelas iniciais de seu nome, nunca se encontraram cara a cara desde que o mexicano assumiu o poder, em 1° de dezembro de 2018.

Em abril, depois de um telefonema com Trump, AMLO anunciou a intenção de encontrá-lo "em junho ou julho" para agradecer-lhe por tornar possível a aquisição de respiradores para doentes com COVID-19.

O presidente mexicano disse que o encontro também servirá "para dar testemunho à entrada em vigor do T-MEC", o acordo de livre comércio renovado negociado por México, Estados Unidos e Canadá a instâncias de Trump e que a partir de 1º de julho vai substituir o NAFTA, em vigor desde 1994.

Mas na quarta-feira passada, AMLO pôs em dúvida um encontro com Trump, ao ser perguntado sobre o tema durante sua habitual coletiva de imprensa matinal.

"Não descarto ainda, é preciso esperar, mas vejo que não vai ser possível", disse, em alusão à previsão de revisão e eventualmente aprovação de leis nos próximos dias para "facilitar a entrada em vigor" do T-MEC.

"Queremos que não haja mais nenhum obstáculo para a entrada em vigor em 1º de julho do tratado de livre comércio, que vai nos ajudar muito", disse López Obrador.

AMLO tem dito várias vezes que não quer um confronto com o vizinho do norte e que, no campo pessoal, quer ser "amigo" de Trump.

Além do T-MEC, crucial para a economia mexicana, em junho de 2019 o México se comprometeu com os Estados Unidos a tomar "medidas sem precedentes" para deter a crescente migração que chegava à fronteira sul americana.

Isto se concretizou depois que Trump ameaçou aplicar tarifas alfandegárias nas exportações mexicanas se o governo de AMLO não diminuísse o fluxo de migrantes, a grande maioria vinda da América Central. O compromisso resultou em que o México enviasse 26.000 homens a sua fronteira norte e sul, o que foi comemorado por Washington.

Nesta terça-feira, em Yuma, Trump fez alusão aos "soldados mexicanos" deslocados e destacou a diminuição das travessias ilegais na fronteira sul.

O governo Trump também selou com o de AMLO os Protocolos de Proteção ao Migrante (MPP, na sigla em inglês). Com este programa, mais conhecido como "Fica no México" e contestado em tribunais americanos, os migrantes que buscarem refúgio nos Estados Unidos devem esperar em território mexicano o trâmite de suas solicitações.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade