Publicidade

Estado de Minas

Afeganistão teme "catástrofe" com o avanço da epidemia de coronavírus


postado em 06/06/2020 13:25

O Afeganistão começa a necessitar de leitos hospitalares à medida que a epidemia de coronavírus avança rapidamente, anunciaram as autoridades, prevendo uma "catástrofe" neste país pobre.

O Afeganistão registrou oficialmente 761 novos casos de COVID-19 nas últimas 24 horas, elevando o total para 19.551.

"Quase todas os nossos leitos [hospitalares] estão ocupados, em breve não teremos capacidade de atendimento", disse o ministro da Saúde, Ahmad Jawad Osmani, a jornalistas neste sábado.

Segundo as autoridades, o número de casos é superior ao esperado, inclusive em Cabul, o epicentro da epidemia neste país destruído por quatro décadas de guerra.

"Uma catástrofe está se aproximando", disse o governador de Cabul, Mohamad Yakub Haidary, na mesma entrevista coletiva.

Somente na capital, estima-se que um milhão de pessoas podem estar afetadas pelo vírus.

Até agora, o número oficial de mortes por vírus em todo o país é 327. Um número que é considerado muito menor que a realidade.

"Temos informações indicando mortes suspeitas e de pessoas enterrando corpos à noite", disse ele.

"Lotamos 10 a 15 ambulâncias com corpos todos os dias", acrescentou.

As autoridades decretaram confinamento oficial no país, mas a população ignora as ordens. Muitos preferem o risco de contrair o vírus a perder um dia de trabalho.

O Ministério da Saúde anunciou medidas mais rigorosas a partir de domingo, como a obrigação de usar máscaras e o respeito à distância de segurança nos próximos três meses.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade