Publicidade

Estado de Minas

Americano preso e acusado de espionagem na Rússia fez cirurgia de emergêncaia


postado em 29/05/2020 11:55

O ex-fuzileiro naval de nacionalidade americana e britânica, preso na Rússia e acusado de espionagem, fez uma cirurgia de emergência por causa de uma hérnia, informaram seus familiares nesta sexta-feira (29).

Paul Whelan, de 50 anos, tem também as nacionalidades canadense e irlandesa. Foi preso em 2018 "enquanto cometia um ato de espionagem", segundo os serviços de segurança russos. Desde então, está detido provisoriamente e pode ser condenado a 18 anos de prisão.

"No início da manhã, a embaixada dos Estados Unidos nos informou que o estado de saúde de Paul havia se deteriorado", declarou seu irmão, David Whelan, em um comunicado em nome da família.

O Ministério das Relações Exteriores russo entrou em contato com a embaixada americana para informar que Paul Whelan havia sido operado "com urgência" na quinta-feira devido a "fortes dores abdominais" pela hérnia.

A cirurgia foi "bem sucedida" e Whelan será transferido novamente à prisão a partir de hoje, indicou o comunicado.

O julgamento de Whelan, que durou dois meses, ocorreu de portas fechadas por conta da pandemia de coronavírus. A promotoria de Moscou pediu que fosse preso por 18 anos. O veredito será emitido em 15 de junho.

O advogado do acusado afirma que Whelan caiu em uma armadilha, quando uma pessoa que conhecia lhe deu uma chave USB com fotos que ele acreditou serem de uma viagem anterior à Rússia que ambos tinham feito.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade