Publicidade

Estado de Minas INTERFERÊNCIA

EUA bancou bandas de rock da Venezuela para 'promover democracia' no país

Documento de 2011 mostra que fundação americana autorizou o uso de US$ 22,9 mil para contratar produtores e pagar por canções que reforçassem a liberdade de expressão


postado em 28/05/2020 17:57 / atualizado em 28/05/2020 18:06

Situação ocorreu quando Hugo Chávez era o presidente da Venezuela (foto: JUAN BARRETO / AFP)
Situação ocorreu quando Hugo Chávez era o presidente da Venezuela (foto: JUAN BARRETO / AFP)

Os Estados Unidos bancaram grupos de rock venezuelanos para escreverem canções sobre liberdade de expressão. A medida foi tomada em 2011, quando os norte- americanos eram liderados pelo então presidente Barack Obama e os venezuelanos, por Hugo Chávez

A informação foi divulgada nessa quarta-feira (27) pelo sociólogo da Universidade da Carolina do Norte Wilmington Tim Gill. Ele teve acesso aos documentos por meio da Freedom of Information Act, uma espécie da Lei de Acesso à Informação.

De acordo com os documentos, mais de 10 bandas foram contratadas para mobilizar jovens venezuelanos contra o regime de Chávez. Para isso, os americanos desembolsaram US$ 22,9 mil para auxiliar na contratação de uma produtora, na gravação das canções e na distribuição dos produtos.



A ação foi realizada pela National Endowment for Democracy (NED), fundação sem fins lucrativos criada em 1983 com o intuito de espalhar a democracia ao redor do mundo. Segundo o site destacado na página da instituição, a cada ano, “o NED faz mais de 1.600 doações para apoiar os projetos de grupos não-governamentais no exterior que estão trabalhando por objetivos democráticos em mais de 90 países”. 

Promoção da reflexão

Segundo exposto nos documentos, a ação tinha o objetivo de “promover maior reflexão entre os jovens venezuelanos sobre a liberdade de expressão, sua conexão com a democracia e o estado da democracia no país”.

Os governos americanos e venezuelanos vêm protagonizando disputas políticas ao longo de anos. O ex-presidente da Venezuela, Hugo Chávez, sempre acusou a potência mundial de interferir em assuntos internos do país sul-americano movida pelo interesse no petróleo do país.

Em 2002, Hugo Chávez sofreu uma tentativa de golpe por parte de uma cúpula militar. No entanto, a tentativa de golpe falhou e o populista venezuelano conseguiu se manter no poder.  Mais tarde, descobriu-se que governo de George W. Bush, então presidente dos EUA, tinha conhecimento dos planos de golpe antes de sua realização.

* Estagiário sob supervisão da editora Liliane Corrêa


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade