Publicidade

Estado de Minas

Chile pede à Venezuela que se responsabilize por cidadãos bloqueados em Santiago


postado em 22/05/2020 20:07

O ministro das Relações Exteriores do Chile, Teodoro Ribera, pediu nesta sexta-feira que a Venezuela assuma a responsabilidade por centenas de venezuelanos acampados diante da sua embaixada em Santiago há pelo menos duas semanas.

Os imigrantes enfrentam chuvas e temperaturas de até 4 graus à espera de ajuda para retornarem a seu país. Ribera se comprometeu a colaborar para que o consulado da Venezuela forneça um avião para transportá-los. Cerca de 250 venezuelanos retornaram há duas semanas.

Com mais de 400.000 pessoas, os venezuelanos formaram a maior colônia de estrangeiros no Chile em seis anos, no contexto de uma onda migratória desencadeada pela crise em seu país.

O Chile abriga 1,5 milhão de imigrantes, quase 10% de sua população, de cerca de 18 milhões de habitantes. Essas comunidades foram especialmente atingidas pela crise social de 18 de outubro e, com a pandemia, muitas ficaram sem trabalho ou moradia.

Peruanos e bolivianos também acamparam do lado de fora de suas representações diplomáticas em Santiago no último mês. Mais de mil bolivianos conseguiram atravessar sua fronteira, fechada para conter o coronavírus desde abril.

Cerca de 1.200 peruanos bloqueados na cidade de Arica (norte do Chile) vão retornar a seu país, depois que os governos do Chile e do Peru acordaram uma operação para trocar cidadãos a partir desta sexta-feira. Sob este pacto, cerca de 300 chilenos e 86 argentinos poderão atravessar a fronteira peruana, fechada desde março.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade