Publicidade

Estado de Minas

Canadá começa a flexibilizar gradualmente o confinamento pela pandemia


postado em 27/04/2020 18:19

O Canadá começou nesta segunda-feira (27) uma flexibilização das restrições adotadas durante a pandemia do novo coronavírus, com um alerta do primeiro-ministro, Justin Trudeau, para que a população se mantenha vigilante e dê pequenos passos de forma a evitar um ressurgimento da COVID-19.

A província de New Brunswick, na costa atlântica, foi a primeira a relaxar as medidas de distanciamento social com a abertura de parques e praias, após permanecer uma semana sem novos casos.

Saskatchewan, situada no oeste, está pronta para reabrir as empresas na próxima semana. E as províncias de Ontário e Quebec, onde foi registrado o maior número de casos do país, em sua maioria em residências de idosos, apresentaram nesta semana cronogramas de reabertura de suas economias.

As "províncias e territórios poderão avançar em um ritmo diferente", disse Trudeau em coletiva de imprensa diária.

- 'A vida tem que continuar' -

"A vida tem que continuar", disse o premier François Legault em uma coletiva de imprensa.

Ele anunciou que as escolas de ensino fundamental e as creches fora de Montreal seriam os primeiros espaços a reabrir no próximo 11 de maio, "na única condição" de que a situação não piore.

O governo de Ontário, por sua vez, informou que retornaria às atividades, mas não especificou um cronograma neste sentido.

"Isso é um mapa, não um calendário", disse o premier de Ontário, Doug Ford.

"Eu entendo completamente as pessoas que pedem para voltar a trabalhar", disse nesta segunda.

"O que nós não queremos é que sejamos prematuros e acabemos por reabrir a economia muito cedo e depois (o vírus) retorne".

Ontário registrou uma diminuição no número de novos casos nos últimos três dias.

- Espera por vacina -

O primeiro-ministro canadense destacou a necessidade de uma reabertura gradual e coordenada para garantir que tudo seja feito "com muito cuidado, com base no melhor assessoramento científico", até que haja um tratamento adequado ou uma vacina.

"Se errarmos, tudo que fizemos, tudo o que sacrificamos nas últimas semanas, poderia ser em vão", ressaltou.

As diretrizes federais para a reabertura das empresas incluem a intensificação no número de testes do coronavírus e a garantia de que haja atenção médica suficiente para "lidar com um possível aumento" no número de casos.

Trudeau afirmou ter "uma enorme confiança" no plano de cada uma das províncias.

Ele acrescentou que os canadenses devem se preparar para o ressurgimento dos casos no outono e não esperar uma volta "à normalidade" no curto prazo.

"Os historiadores lembram que a epidemia da gripe espanhola em 1918, que afetou bastante durante a primavera", "no outono foi muito pior", recordou.

Nos próximos meses, se verá "uma cuidadosa reabertura de certos setores da economia e certas coisas que serão permitidas à medida que as pessoas voltem a fazer coisas mais normais", indicou.

"O normal é algo que ainda está muito distante de todos nós", avisou Trudeau.

Até esta segunda-feira, o Canadá tinha 48.229 casos de coronavírus e 2.781 mortes.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade