Publicidade

Estado de Minas

Curdistão sírio registra primeira morte por coronavírus


postado em 17/04/2020 20:25

Um homem de 53 anos foi a primeira pessoa a morrer de Covid-19 na zona curda do norte da Síria, país em guerra, informaram representantes da ONU nesta sexta-feira.

O governo da região semiautônoma curda acusou a OMS de não ter informado imediatamente sobre o caso, e disse que esta agência da ONU, bem como autoridades sírias, serão responsáveis caso o vírus se propague.

O Departamento da ONU para a Coordenação de Assuntos Humanitários (Ocha) afirmou que recebeu ontem da OMS a notícia da morte. A agência da ONU não comentou a informação.

Segundo o Ocha, a OMS informou que "um paciente que morreu no hospital nacional Qamishli, no nordeste da Síria, em 2 de abril testou positivo para Covid-19". A vítima foi um homem de 53 anos, de acordo com a fonte.

Embora a região esteja sob administração curda, o governo do presidente sírio, Bashar Al-Assad, tem presença ali, e os hospitais estão sob a autoridade do regime. A zona síria controlada pelo governo registrou 38 infectados e duas mortes.

Autoridades curdas acusam o regime de Assad de não proporcionar respiradores, testes e equipamentos para lutar contra a pandemia. Nas zonas sob seu controle, o governo sírio tomou medidas contra o vírus, como o fechamento de escolas e restaurantes, bem como o confinamento e toque de recolher.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade