Publicidade

Estado de Minas

Incêndio obriga milhares de turistas ilhados a fugir para praias na Austrália

Encurralados, muitos vestiram até coletes salva-vidas para o caso de entrar na água para escapar do avanço das chamas


postado em 31/12/2019 10:25

Ver galeria . 6 Fotos Restos de prédios incendiados são vistos ao longo da rua principal da cidade de Cobargo, em Nova Gales do Sul, depois que o fogo devastou a cidade. Milhares de turistas e moradores locais foram forçados a fugir para praias do sudeste da Austrália porque não havia forma de escapar por terra Saeed KHAN / AFP
Restos de prédios incendiados são vistos ao longo da rua principal da cidade de Cobargo, em Nova Gales do Sul, depois que o fogo devastou a cidade. Milhares de turistas e moradores locais foram forçados a fugir para praias do sudeste da Austrália porque não havia forma de escapar por terra (foto: Saeed KHAN / AFP )

Milhares de pessoas foram forçadas nesta terça-feira a procurar refúgio nas praias do sudeste da Austrália para escapar dos incêndios que assolam esta região turística.

Cerca de 4.000 turistas e habitantes acabaram retidos nas praias da cidade de Mallacoota, cercadas por incêndios.

Em uma faixa costeira de cerca de 200 km, alguns fugiram para a costa a bordo de seus navios para tentar escapar de um dos piores dias desde o início de setembro desses incêndios devastadores.

Nas redes sociais, os habitantes de Mallacoota explicaram que vestiam coletes salva-vidas caso fossem obrigados a se refugiar na água para escapar do fogo.

Em 24 horas, três pessoas morreram e cinco estavam desaparecidas, quando as chamas se aproximaram de cidades muito povoadas, como Batemans Bay, um destino tradicional de férias.

"Temos centenas, milhares de pessoas na costa, refugiando-se nas praias e em clubes de surfe", disse Shane Fitzsimmons, chefe do departamento de incêndios florestais da Nova Gales do Sul.

Fitzsimmons observou que as estradas a oeste, sul e norte estavam fechadas, mas que uma frente fria vinda da costa estava moderando a violência de muitos incêndios.

Em algumas regiões, os incêndios são tão intensos, a fumaça tão densa e o fogo causado por raios tão violento que o reconhecimento aéreo e a intervenção de bombardeiros tiveram que ser interrompidos, informaram os agentes encarregados das áreas rurais de Nova Gales do Sul. 

(foto: SEAN DAVEY / AFP)
(foto: SEAN DAVEY / AFP)
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade